Facebook apaga mais de 270 contas falsas que apoiavam Donald Trump

Uma empresa de comunicação digital, sediada no Arizona, que estaria ligada às contas falsas também foi banida do Facebook.

donald-trump,america-norte,redes-sociais,eua,tecnologia,america,
Foto
Reuters/DADO RUVIC

Mais de 270 contas que utilizavam perfis falsos para comentar artigos de notícias e, muitas vezes, elogiar o Presidente norte-americano, Donald Trump, foram apagadas da rede social Facebook, anunciou a empresa esta sexta-feira. Uma empresa de comunicação digital, sediada no Arizona, que estaria ligada às contas falsas também foi banida do Facebook.

A decisão da gigante tecnológica co-fundada por Mark Zuckerberg surge um mês depois de o jornal The Washington Post ter publicado uma reportagem sobre um grupo “pró-Trump”, conhecido como “Turning Point Action”, que estaria a pagar a adolescentes para fazerem posts de apoio ao Presidente dos Estados Unidos, violando as regras do Facebook.

O Facebook e o Twitter têm estado a remover contas falsas — nos Estados Unidos e em outros países — que tentam interferir no discurso político e influenciar o voto nas presidenciais de Novembro.

As contas agora apagadas foram criadas em 2018, mas permaneceram sem actividade até Junho, altura em que começaram publicar posts sobre a pandemia de covid-19, mensagens com críticas ao candidato democrata, Joe Biden, às eleições de 3 de Novembro ou elogios ao actual Presidente e candidato republicano.

Segundo o Facebook, foi possível apurar que as contas eram coordenadas pela empresa de marketing Rally Forje, que também já foi banida da rede social.

Na quarta-feira, a empresa anunciou que iria proibir propaganda política, em publicações sociais ou políticos, no encerramento das urnas de voto para as eleições presidenciais, marcadas para 3 de Novembro. No dia anterior, a rede social indicou que também vai apagar páginas, grupos e contas de Instagram que representam o movimento de extrema-direita QAnon, mesmo que não promovam violência.

Sugerir correcção