Contar o Douro: Vale D. Maria Douro Superior tinto

Na região do Douro, são produzidos vinhos emocionantes.

estudio-p,
Fotogaleria
Quinta Vale D. Maria
estudio-p,
Fotogaleria
Quinta Vale D. Maria

Percorrer esta região é viajar pelos sentidos. O que os olhos procuram alcançar, o olfacto vai descobrindo. Enquanto isso, os murmúrios da natureza embalam memórias, desenhadas em cada socalco.

O ponto de partida para esta viagem foi a sub-região do Cima Corgo, onde se localiza a Quinta Vale D. Maria. O ponto de chegada, o Douro Superior, onde se encontra a segunda propriedade integrada na marca, junto à foz do Rio Sabor.

Percorrer estes cerca de 100 km é descobrir e absorver a identidade de cada uma das duas sub-regiões, no seu clima, solos e castas. A questão identitária é o denominador comum a todos os vinhos que integram o portefólio Quinta Vale D. Maria.

A Natureza, sempre sábia e soberana, aliou-se à dedicação e savoir-faire de uma equipa de pessoas movidas pela emoção. Reflexo de uma viticultura sustentável, que respeita o meio ambiente e o terroir, através de práticas como os enrelvamentos com espécies gramíneas e leguminosas (dependendo do vigor da parcela), promovendo uma protecção contra a erosão e, em simultâneo, um aumento da fertilidade e vida dos solos; a plantação de espécies arbustivas e arbóreas na bordadura das árvores, promovendo a descontinuidade da vinha e intercalando assim os corredores ecológicos; a recuperação da água da chuva, da maior importância se atendermos às alterações climáticas e ao facto do Douro ser uma região onde a água é um bem escasso, cada parcela de vinha conta uma história.

PÚBLICO -
Foto
Quinta Vale D. Maria

Com idades compreendidas entre os 10 e 35 anos, as vinhas, que se encontram nas encostas do Vale do Rio Sabor e do Rio Douro, oferecem uma paisagem que nos envolve. Plantadas com as castas Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz, na génese, entre outras, do Vale D. Maria Douro Superior tinto 2018.

Recordar as vindimas desse ano, que começaram no dia 12 de Setembro, abençoadas com chuvas ligeiras, é perpetuar a emoção de colher as uvas, com a maturação ideal, que estiveram na origem de um mosto de alta qualidade.

Sedutor, com uma cor viva e brilhante, e aromas a fruta vermelha como framboesas, mirtilos e amoras, envoltos em notas de baunilha, conferidas por um estágio de 6 meses em barricas de carvalho francês. Com uma textura aveludada, este vinho intenso marca pelo seu final longo e profundamente fresco.

A identidade deste tinto da gama Douro Superior, que integra também os vinhos Vale D. Maria Vinhas do Sabor Branco 2019 e Vale D. Maria Vinhas do Sabor Tinto 2018, é inigualável. E o convite que nele encerra, irrecusável. Saborear uma garrafa de Vale D. Maria Douro Superior tinto 2018 é fazer parte de uma história onde o respeito pela Natureza e a paixão pelo vinho se fundem com harmonia.

O profundo respeito pela região do Douro e pelo legado de Cristiano van Zeller, fundador da marca Quinta Vale D. Maria, em prol de uma chancela de excelência, esteve na génese da aquisição da Quinta Vale D. Maria por parte da Aveleda em 2017.

“O respeito pelo terroir e pela sustentabilidade dizem-nos muito. Todos os projectos que temos vindo a desenvolver são pensados numa ótica de longo prazo”, salienta António Azevedo Guedes, CEO e descendente da 5.ª geração da família fundadora da Aveleda.

PÚBLICO -
Quinta Vale D. Maria
PÚBLICO -
Quinta Vale D. Maria
PÚBLICO -
Quinta Vale D. Maria
Fotogaleria
Quinta Vale D. Maria

Partilhar vinhos Quinta Vale D. Maria é contar o Douro na sua plenitude, viver a sua essência através de uma gama exclusiva, cuja identidade reflecte a emoção e o detalhe com que cada vinho é criado. Vinhos únicos que contam uma história…

Sugerir correcção