Gui Aly: o “diamante em bruto” vencedor do EDP Live Bands 2020

Descobriu há dois anos que sabe cantar, escrever e compor. Agora, com 19 anos, é o vencedor da 7.ª edição do maior concurso de bandas de garagem do país.

Gosta de andar de skate, já jogou futebol federado, escreve poemas. Há dois anos, e porque uma prima reparou, descobriu que a sua voz era, afinal, um instrumento. Investiu nesse talento, mas cedo descobriu que era preciso mais. Não perdeu tempo: aprendeu a tocar guitarra. Agora, com 19 anos, Gui Aly soma mais uma particularidade ao seu perfil. Neste caso, tratar-se-á mesmo de um marco: dos 354 candidatos que se inscreveram, dos 40 semifinalistas que foram a concurso e, finalmente, dos seis finalistas que actuaram este sábado, 10 de Outubro, no Campo Pequeno, em Lisboa, foi ele o vencedor da 7.ª do EDP Live Bands

A competir com bandas já com largos anos de experiência, foi incrédulo e emocionado que o músico e compositor subiu ao palco, depois de anunciado o seu nome como vencedor. “Não sei mesmo o que sentir, nem sei mesmo se isto é real. Alguém que me belisque”, são as primeiras palavras de Gui Aly, que levou à final os temas “Toxic Love” e “Away”. 

O cantautor, que se apresenta apenas com voz e guitarra acústica, terminou recentemente o 12.º ano e o futuro será, certamente, como deseja: “Cheio de música”. É que, para casa, Gui Aly leva algumas garantias: um álbum editado pela Sony Music Portugal, um videoclip, a actuação nas edições de 2021 dos festivais NOS Alive, em Lisboa, e Mad Cool Festival, em Madrid, e ainda a possibilidade de realizar quatro showcases em lojas FNAC, de todo o país. 

PÚBLICO -
Foto
Gui Ali, vencedor do EDP Live Bands' 20 D.R.

Natural de Lisboa, escreve poemas desde o quinto ano de escolaridade, tendo, a par da sua iniciação musical, passado a escrever em inglês, idioma em que canta. No palco, agradeceu ao primo — outro primo — referindo que, sem ele, nada disto teria acontecido. Quisemos saber mais: “Ele viu um vídeo que gravei em casa a cantar a minha música “Toxic Love” e decidiu partilhar no Twitter porque sentiu que eu tinha talento”, lembra. A publicação teve tanto sucesso que chegou aos tópicos tendência desta rede social em Portugal. 

Eram quatro os critérios para a avaliação dos finalistas: performance musical, vocal, em palco e originalidade. Gui Aly destacou-se em todos, o que acabou por facilitar o trabalho aos seis jurados. Apesar dos talentosos candidatos, a escolha acabou por ser “unânime”, revela Teresa Loreto, jurada e da Direcção de Marca da EDP, que descreve o jovem lisboeta como um “diamante em bruto”.

Hélio Morais, co-fundador e membro das bandas Linda Martini e PAUS, autor do recém-lançado projecto a solo Murais, e convidado especial do júri do EDP Live Bands, será o responsável por produzir o álbum de Gui Aly. “O papel do produtor é conseguir extrair o melhor do artista que tem à sua frente, sem castrar a sua criatividade, sem penhorar a sua visão”, explica.

No caso deste “diamante em bruto”, aquilo que nunca se deverá ofuscar, considera, é a sua voz: “É inacreditável. Ele começa a cantar e o foco vai todo para aí”, diz, ressalvando que o seu papel, como produtor, passará por ajudar Gui Aly “a concretizar aquilo que ele tem em mente, da melhor forma possível.”  

Apesar dos contornos impostos pela COVID-19, Teresa Loreto faz um balanço “muito positivo” desta 7.ª edição. “Estamos muito felizes. Este ano tivemos mais concorrentes do que no ano passado, mais 9% face ao ano passado. É sinal de que as pessoas querem participar e de que estão ávidas de fazer coisas diferentes.”

PÚBLICO - EDP Live Bands 2020
EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - EDP Live Bands 2020
EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Juri EDP Live Bands 2020
Juri EDP Live Bands 2020
PÚBLICO - Actuação Yazz e B-mywingz, a dupla vencedora do EDP Live Bands 2019
Actuação Yazz e B-mywingz, a dupla vencedora do EDP Live Bands 2019 D.R.
PÚBLICO - Actuação dos PAUS
Actuação dos PAUS D.R.
PÚBLICO - Finalista EDP Live Bands 2020
Finalista EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Finalista EDP Live Bands  2020
Finalista EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Vencedor do EDP Live Bands 2020
Vencedor do EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Finalista EDP Live Bands 2020
Finalista EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Finalista EDP Live Bands 2020
Finalista EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Finalista EDP Live Bands 2020
Finalista EDP Live Bands 2020 D.R.
PÚBLICO - Actuação dos PAUS
Actuação dos PAUS D.R.
PÚBLICO - Actuação dos PAUS
Actuação dos PAUS D.R.
Fotogaleria
D.R.

A realidade é que, apesar da pandemia, só nesta última etapa é que foi necessário fazer mudanças. “O concurso em si já é digital, portanto nesse formato não tivemos de fazer alterações”, explica a directora de marca. Assim, ao invés de um grande público, o evento decorreu de porta fechada, contando apenas com a presença de familiares e amigos dos finalistas, repartidos por mesas espalhadas pela sala de espectáculos. Para os que fisicamente não puderam estar presentes, o evento foi transmitido no Youtube da EDP. E não ficaram a perder: durante a transmissão em live streaming, a EDP ofereceu, através de um passatempo, três bilhetes duplos para o NOS ALIVE’ 21 aos espectadores do evento. 

Além disso, a utilização de máscara foi obrigatória em todo o evento, foram colocados sinais de circulação no chão e dispensadores de álcool gel.

A final da EDP Live Bands 2020 contou com a actuação dos seis finalistas: Frane Selak, escolhido pelo público, Bosque, Gui Aly, Pedra Mestre, Vila Martel e Zanibar Aliens, os cinco seleccionados pelo júri, constituído ela EDP e pelos parceiros Sony Music, Everything is New, FNAC Portugal, rádio RADAR e o músico convidado Hélio Morais.

Sugerir correcção