Reuters/GONZALO FUENTES
Foto
Reuters/GONZALO FUENTES

Jovens franceses: “Não façam de nós o bode expiatório da covid-19”

Estudantes criticam a actuação do Governo francês e pedem para não serem culpados pela expansão do novo coronavírus no país.

Solene Tissot, uma estudante de 19 anos a viver em Paris, vai cumprir o recolher obrigatório imposto para travar a covid-19, mas tem um pedido para os líderes do seu país: não culpem os jovens pela segunda vaga do vírus. “Tem-se atribuído a culpa aos jovens”, disse Solene, esta sexta-feira, 16 de Outubro, horas antes de o novo recolher obrigatório ter entrado em efeito em Paris e nas principais cidades francesas. “Rejeito isso.”

Depois de um abrandamento no Verão, as taxas de transmissão do novo coronavírus estão a subir em toda a Europa e os delegados de saúde identificaram a interacção social entre jovens como uma fonte responsável pelo reaparecimento do vírus.

“Temos de apelar especialmente aos jovens para se aguentarem sem festas”, disse a chanceler alemã, Angela Merkel, na última quarta-feira. E o Presidente francês, Emmanuel Macron, também apelou esta semana aos jovens para acabarem com as festas.

Cerca de 25% dos surtos do vírus sob investigação em França são em estabelecimentos de ensino. Mas os estudantes que falaram com a Reuters em Paris disseram que eles e os seus pares estão a cumprir as regras de distanciamento social.

PÚBLICO -
Foto
Nicolas Litaudon, 19 anos, frequenta o Instituto de Ciências Políticas de Paris. REUTERS/GONZALO FUENTES
PÚBLICO -
Foto
Zoe tem 21 anos e estuda na Universidade de Sorbonne, em Paris. REUTERS/GONZALO FUENTES

Segundo estes estudantes, o vírus está a alastrar-se devido a outros factores, incluindo a falta de preparação por parte do Governo e os ajuntamentos nos locais de trabalho. Culpar os jovens e as festas é, para eles, muito simplista.

“Somos culpados porque é muito fácil tornar-nos num bode expiatório”, disse Zoe, uma estudante de 21 anos da Universidade de Sorbonne, em Paris. Zoe afirmou que as autoridades deveriam fazer um melhor trabalho no que toca à gestão do distanciamento social dentro das universidades, antes de apontar o dedo às festas dos jovens.

Nicolas Litaudon, um estudante de 19 anos do Instituto de Ciências Políticas de Paris, disse que, em vez de culparem os jovens, os governantes franceses deveriam olhar para si mesmos. “O Governo fez o suficiente para antecipar e planear?”, questiona-se. “Não deveriam ser moralistas sobre este assunto ao tentar culpar uma parte da população.”

Sugerir correcção