Banksy confirma ter pintado “menina do hula-hoop

A pintura de uma menina a brincar com o pneu de uma bicicleta estragada apareceu, na última terça-feira, numa parede de Nottingham, em Inglaterra.

arte-urbana,banksy,inglaterra,artes,culturaipsilon,reino-unido,
Foto

A “menina do hula-hoop” é a mais recente obra de Banksy​. Este sábado, 17 de Outubro, o artista de rua britânico confirmou ser o autor da pintura de uma menina a brincar com o pneu de uma bicicleta estragada, que apareceu na última terça-feira numa parede de Nottingham, em Inglaterra. Na fotografia que Banksy partilhou no Instagram, além da figura a preto e branco, vê-se uma bicicleta sem roda amarrada a um candeeiro de rua. 

Mesmo antes da confirmação do artista, a peça já estava a atrair bastante atenção, com filas de pessoas a formarem-se para tirar fotografias ao lado da menina. “As pessoas estavam todas confusas, não sabiam se era verdadeira ou não, mas é uma imagem fantástica. É arte fantástica”, partilha Surinder Kaur, dona do salão de beleza ao lado da pintura, em declarações ao jornal Guardian. “Toda a gente está muito entusiasmada e há muitas, muitas pessoas a vir ver a peça.”

PÚBLICO -
Foto
A figura tem atraído bastante atenção Carl Recine/Reuters

A atenção, porém, não tem sido toda positiva e foi preciso tapar a figura com uma película transparente para evitar que a peça fosse coberta com graffiti. Kaur diz que a película original já foi reposta, pelo menos, três vezes.

O artista que opera sob o pseudónimo de Banksy​ é conhecido por usar as suas obras, espalhadas por todo o mundo, para comentar assuntos noticiosos e problemas sociais. Este ano, a pandemia global, as consequências do isolamento social e o movimento Black Lives Matter têm sido os principais focos. Noutros anos, o destaque tem sido para a crise de refugiados no Mediterrâneo. 

Em Maio, por exemplo, Banksy pintou um menino a deixar o Batman e o Homem Aranha de lado no balde para brincar com uma “enfermeira heroína” de capa e máscara. A peça, que foi doada ao Hospital de Southampton, no Reino Unido, será leiloada nos próximos meses, com as receitas a reverter para o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês).

Já em Julho, uma série de ratos com máscaras e desinfectante apareceram estampados à volta de uma carruagem de metro em Londres. A obra If you don’t mask – you don’t get  ("Se usarem uma máscara, não apanham”, em tradução livre para português) surgiu numa altura em que o Reino Unido intensificava as regras sanitárias para o combate à propagação do novo coronavírus. O alerta de Banksy​, porém, durou pouco tempo, com a peça a ser removida devido à política anti-graffiti do metro. “Apreciamos o esforço de tentar motivar as pessoas a usar máscaras”, ressalvou, no entanto, a equipa da Transport for London, que gere a linha metropolitana da cidade.

Embora o foco de Banksy em 2020 não tenha sido a crise dos refugiados, o artista anunciou que as vendas das suas obras de arte vão financiar um iate motorizado, com 30 metros, para salvar refugiados a tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar à Europa. 

Sugerir correcção