Ainda há quase 3000 vagas para o ensino superior. Consulte aqui

Candidaturas à 3.ª fase arrancam nesta quinta-feira. Governo estima que no final de todos os processos o número total de novos ingressos no ensino superior em todos os ciclos de estudos, públicos e privados, atinja os 95 mil.

acesso-ensino-superior-2020,estudantes,universidade,institutos-politecnicos,sociedade,ensino-superior,
Foto
Gabriel Sousa

Ainda há hipóteses. E elas existem mesmo em alguns cursos disputados. São 2939 as vagas em jogo na 3.ª e última fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. As candidaturas decorrem a partir desta quinta-feira e até 26 de Outubro. Os resultados são conhecidos a 30 de Outubro. 

A lista tornada pública nesta quinta-feira pode ser consultada aqui. E mostra que mesmo em alguns cursos mais concorridos, como Engenharia Electrotécnica e de Computadores, no Instituto Superior Técnico (onde a nota do último colocado tanto na 1.ª como na 2.ª fase foi superior a 18 valores), há vagas: duas, neste caso.

Também na área da Enfermagem restam alguns lugares, em algumas instituições. É o caso das quatro vagas disponíveis na Escola Superior de Enfermagem do Porto. Nas universidades de Coimbra e do Porto há também, em cada uma, um lugar para Medicina Dentária — uma vez mais, este é um curso que registou médias de ingresso superiores a 18 valores, nas 1.ª e 2.ª fases.

Por instituição de ensino, o Instituto Politécnico de Coimbra é o que coloca mais vagas a concurso nesta 3.ª fase: 303. Seguem-se o Politécnico de Bragança (259) e o de Viseu (256). Nas universidades, a do Algarve é aquela onde há mais oferta: 121 lugares. Segue-se a Universidade da Beira Interior (96), a Universidade do Porto (83), a de Coimbra (81) e a de Lisboa (80).

Na 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, cujos resultados foram conhecidos a 27 de Setembro, entraram quase 51 mil candidatos, o número mais elevado de sempre. A 14 de Outubro ficou a saber-se que mais cerca de 10 mil estudantes tinham conseguido lugar numa universidade ou politécnico públicos, na 2.ª fase do concurso.

Aos estudantes colocados nas 1.ª ou 2.ª fases que concorram à 3.ª fase e nela sejam colocados é automaticamente anulada a colocação anterior e, consequentemente, a matrícula e inscrição realizadas.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior estima em comunicado que o número total de novos ingressos no ensino superior em todos os ciclos de estudos, públicos e privados, atinja os 95 mil novos estudantes matriculados no presente ano lectivo de 2020/21, contra 84 mil em 2019. Este valor inclui os candidatos que entram via concurso nacional de acesso, mas também através de outras formas de ingresso no sistema público (caso dos contingentes especiais), os que acedem a formações curtas (cursos técnicos superiores profissionais e os que ingressam em instituições do sistema de ensino privado.

Sugerir correcção