As municipais brasileiras mostraram uma esquerda a despontar que o PT já não pode ignorar

Em São Paulo, Belém do Pará e Porto Alegre candidatos de partidos de esquerda até há pouco vistos como satélites do PT disputam a segunda volta.

fernando-haddad,america-sul,mundo,eleicoes,lula-silva,brasil,
Foto
Guilherme Boulos e Luiza Erundina durante a campanha eleitoral em São Paulo Reuters/AMANDA PEROBELLI

Três grandes capitais estaduais brasileiras vão ter candidatos de partidos de esquerda a disputar a segunda volta das eleições municipais, marcadas para 29 de Novembro, que em comum têm o facto de não pertencerem ao Partido dos Trabalhadores (PT). O seu sucesso mostra uma nova face de uma esquerda onde o histórico partido já não dispõe da hegemonia de outros tempos.