Ramal da Alfândega pode dar para bicicletas e transporte público, admite Rui Moreira

Em resposta a um elemento do grupo que defende a reactivação de um transporte público no canal, o autarca admitiu que pode haver, naquela antiga linha, espaço para mais que um tipo de utilização.

Foto
A antiga linha de comboio está desactiva desde 1989 Adriano Miranda / PUBLICO

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, afirmou esta segunda-feira que o Ramal da Alfândega pode vir a contemplar o percurso pedonal e ciclável e a ligação rápida entre Campanhã e Alfândega. “Se as coisas correrem muito bem até podemos ter uma solução que dê as duas coisas [percurso pedonal e ciclável e a ligação rápida entre Campanha e Alfândega]. Também há soluções intermédias, mas não nos tentem impor a vossa posição”, afirmou o presidente da câmara do Porto, no período dedicado ao público durante a reunião do executivo.

O autarca, que respondia a Pedro Rui Pardinhas Azevedo, membro do GARRA - Grupo de Acção para a Reabilitação do Ramal da Alfândega, defendeu ainda ser “absolutamente impensável” ter “antes de quatro anos” uma solução de transporte nesta linha desactivada desde 1989. A Câmara do Porto, recorde-se, anunciou, em Junho, que avançaria provisoriamente com uma ecopista enquanto estudava uma opção definitiva

Na sessão, o membro do GARRA afirmou que, depois de ouvir vários especialistas e académicos, é “unânime” a opinião de que a “ecopista não é o melhor uso a dar ao ramal da Alfândega”. “A decisão deveria suportar-se na solução de transporte”, disse Pedro Rui Pardinhas Azevedo, apelando ao município para avançar “de imediato” com um estudo de tráfego para decidir se esta deveria ser uma ferrovia ou rodovia com recurso a veículos não poluentes.

Em resposta ao membro do GARRA, o independente Rui Moreira considerou que a “unanimidade destrói um bom argumento” e aconselhou-o a nunca invocar que “todos os especialistas estão de acordo”. “Não lhe vou dizer qual é a minha preferência”, salientou Rui Moreira. “Como não acho que haja unanimidade, entendemos pôr o assunto à discussão, e o que hoje estamos a fazer permite viabilizar as duas situações”, disse, referindo-se a um veículo autónomo e um parque “linear” com uma “vista maravilhosa”.

Após a intervenção do membro do GARRA, o vereador do PS Manuel Pizarro afirmou tratar-se de “um debate útil”. Também a vereadora da CDU, Ilda Figueiredo, congratulou o grupo por “contribuir para a discussão e debate do tema na cidade”.