Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves está a contratar para Madeira e Açores

Há quatro vagas nas áreas de conservação marinha, engenharia agrónoma e arquitectura paisagística para a Madeira e São Miguel. Candidaturas até 8 e 15 de Janeiro.

Foto
Andreia Gomes Carvalho

A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) está à procura de quatro colaboradores para a Madeira e São Miguel, nos Açores. 

Para a Região Autónoma da Madeira, está a contratar um assistente técnico de conservação marinha, com contrato a termo certo de nove meses, para dar apoio aos projectos LIFE4BEST Seabirds Macaronesian Sound e INTERREG EELabs, bem como a actividades complementares. Já para o arquipélago dos Açores, há três lugares com contrato a termo certo de 12 meses, com possibilidade de renovação: as vagas são para técnico de conservação marinha, engenheiro agrónomo ou técnico de arquitectura paisagística.

As funções para o cargo de assistente técnico de conservação marinha, na Madeira, passam pela monitorização das colónias de aves marinhas da região, a realização de acções de formação a técnicos e operacionais dos parceiros do projecto, a monitorização da poluição luminosa e a implementação do programa de educação ambiental. O candidato deve ser licenciado em em Biologia ou numa área semelhante, ter uma boa preparação física e experiência em trabalho de campo e nocturno. O conhecimento da avifauna do arquipélago é também uma exigência.

Os interessados devem viver ou estar disponíveis para residir na Madeira, saber português e inglês e ter carta de condução. Têm ainda de ter disponibilidade a partir de Fevereiro de 2021 e ser organizados e proactivos. Preferencialmente, podem ter experiência em manuseamento e técnicas de monitorização, anilhagem e metodologia acústica passiva de aves marinhas. As candidaturas devem ser enviadas até ao dia 15 de Janeiro para madeira@spea.pt, com o assunto “AssistenteTecnicoMadeira2021”. O email deve conter um currículo com o máximo de três páginas e uma carta de motivação com, pelo menos, duas referências. O cargo prevê um salário bruto entre os 900 e os 1100 euros. 

Para as vagas nos Açores, os candidatos às três vagas também devem viver em São Miguel, ou estar disponíveis para isso. Pedem-se conhecimentos informáticos na óptica do utilizador, domínio das línguas portuguesa e inglesa, organização e sentido de responsabilidade no cumprimento das tarefas, um carácter dinâmico e proactivo, capacidade de elaboração de relatórios técnicos e de materiais divulgativos e capacidade de comunicação e de se relacionar com voluntários e estagiários. Carta de condução é também um requisito. Todas as candidaturas devem conter um currículo de até três páginas, uma carta de motivação com o mínimo de duas referências e devem ser enviadas por correio electrónico.

O técnico de conservação marinha irá assegurar a monitorização das colónias de aves marinhas ao longo da Região Autónoma dos Açores, acompanhando os seus restauros ecológicos, avaliando o impacto das espécies invasoras nas aves marinhas e as acções de controlo e erradicação dessas espécies. É esperado ainda que realize acções de formação internas.

Os candidatos a esta vaga devem ser licenciados em Biologia Marinha, ter uma boa preparação física e ter experiência em manuseamento, técnicas de monitorização, anilhagem, anilhagem com redes verticais e preferencialmente licença de anilhagem de aves marinhas. Convém ainda dominarem o software Kaleidoscope. Podem esperar um salário bruto de 1150 euros. As candidaturas devem ser enviadas para azucena.martin@spea.pt, com “ConsMarinhaAçores2021” em assunto, até 8 de Janeiro. 

Para a vaga de engenheiro agrónomo com especialidade em viveiros florestais, é necessária a licenciatura em Engenharia Agronómica ou similar, experiência em produção de plantas, conhecimentos específicos de fitossanidade florestal, acreditação para aplicação e gestão de produtos fitofarmacêuticos, experiência na liderança de equipas operacionais e domínio de desenho técnico.

Com este profissional, a SPEA pretende aumentar a sua capacidade técnica na produção em viveiro de arbóreas, arbustivas e herbáceas, espécies nativas dos Açores. A candidatura deve ser enviada através de correio electrónico para rui.botelho@spea.pt com “ViveiroAçores2021”, em assunto, até 8 de Janeiro. O salário bruto ronda os 1250 euros. 

Por fim, para a vaga de técnico de arquitectura paisagista, é necessária a licenciatura em Arquitectura Paisagista e o domínio do software de SIG e de desenho técnico. A SPEA espera que este profissional ajude a requalificar o trilho que dá acesso ao ponto mais alto da ilha, o Pico da Vara, em São Miguel. As funções serão o levantamento da situação actual no terreno, desenvolvimento da proposta de requalificação, desenho técnico das plantas do projecto e aquisição das estruturas a instalar para requalificação. Ter a carta de condução de veículos todo-o-terreno pode ser um bõnus.

Prevê-se um salário bruto na ordem dos 1150 euros. A candidatura deve ser enviada para rui.botelho@spea.pt até 8 de Janeiro e o assunto do correio electrónico deve ser “PaisagistasAçores2021”.

Texto editado por Amanda Ribeiro