Marca de design luso-americana cresceu mais de 300% no Natal de 2020

Neste Natal, a marca lançou uma nova linha de T-shirts sobre os Açores, com modelos para cada ilha, e a aposta ajudou à explosão de vendas. Meias e máscaras contra a covid-19, que têm motivos como a bandeira portuguesa e o Galo de Barcelos, também contribuíram para o incremento natalício.

Foto
DR

A PortuTees, marca de design inspirada na cultura portuguesa, conseguiu um crescimento das vendas superior a 300% no Natal, depois de um impulso das compras online registado por causa da pandemia de covid-19. “Esta temporada natalícia foi incrível”, confirma o fundador e dono da marca, Lafayette Azevedo, que cresceu na Califórnia no seio de uma família oriunda da ilha do Pico, nos Açores. As vendas subiram 328% em relação ao Natal de 2019. “Penso que [a pandemia] nos ajudou, no sentido em que as pessoas começaram a fazer mais compras online e a nossa marca é muito única”, acrescenta.

Um passa-palavra, o investimento na presença nas redes sociais e a promoção da marca por algumas organizações como o Conselho de Liderança Luso-Americano (PALCUS, na sigla inglesa), ajudaram a catapultar a PortuTees junto da comunidade portuguesa. “A pandemia começou cinco meses depois do lançamento. Não afectou necessariamente o negócio porque a loja é online e não temos um espaço físico”, afirma o responsável.

Neste Natal, a marca lançou uma nova linha de T-shirts sobre os Açores, com modelos para cada ilha, e a aposta ajudou à explosão de vendas. Meias e máscaras contra a covid-19, que têm motivos como a bandeira portuguesa e o Galo de Barcelos, também contribuíram para o incremento natalício.

Máscara Azulejos (12,82€)
Máscara Portugal (12,82€)
Máscara Coração de Viana (12,82€)
Fotogaleria

A PortuTees foi lançada com o intuito de criar roupa e acessórios inspirados na herança portuguesa, incluindo frases em português em muitas das peças. “Decidi desenhar algo que as pessoas não conseguem encontrar noutro lado”, refere o luso-americano, atribuindo a essa diferença parte do sucesso que a marca conseguiu nos últimos meses.

“O conceito original é pegar na cultura portuguesa e misturá-la com a cultura pop e fazer paródias, coisas que as pessoas reconheçam”, diz Lafayette Azevedo. Uma das peças mostra, por exemplo, os personagens dos desenhos animados “Rick and Morty” vestidos como portugueses num bailarico a passar pelo portal luso. Azevedo explicou que “as pessoas adoram” estas T-shirts e há uma que é particularmente popular, a que diz “Juízo na Cabeça”.

Foto
T-Shirt Juízo na Cabeça (13,67€)

“Crescer como português significa que temos muito por onde escolher”, avalia Azevedo, que lançou a marca depois de uma viagem a Portugal, em 2019. Cerca de 70% dos clientes que compram na PortuTees são de origem portuguesa, mas a intenção da empresa é que o design chegue a outras comunidades, mesmo entre os que não entendem as frases em português. “O objectivo da marca é espalhar a cultura portuguesa através de um meio diferente”, revela Azevedo, “e disseminá-la junto de uma audiência mais jovem”, em especial da geração mais nova de luso-americanos, que está a afastar-se da cultura. “A ideia é mostrar que somos portugueses de uma forma divertida.”

Com toda a produção localizada nos Estados Unidos, as zonas onde a PortuTees tem mais clientes são a de São José, na Califórnia, e a de New Bedford e Fall River, na Nova Inglaterra. Azevedo refere também que a marca começou a receber encomendas de outras partes do mundo, como da Austrália, Alemanha e Inglaterra. “Fizemos uma T-shirt sobre o Fado e a primeira encomenda foi de dez unidades para Israel”, exemplifica.

Foto
T-shirt Fado (13,67€)

Com todos os produtos feitos por encomenda, a PortuTees não armazena inventário e por isso as despesas de operação são baixas. A equipa já tinha experiência neste ramo, uma vez que tanto Lafayette Azevedo como Julie Silveira (que gere a comunicação e redes sociais) estiveram na fundação da Rooster Camisa, outra marca de design inspirado na cultura portuguesa. O próximo passo é alargar o tipo de produtos, com foco nos acessórios, avança o empresário. “Decoração para a casa será o segmento onde iremos apostar.”