Morreram 156 pessoas no dia em que Portugal passou os 500 mil casos de infecção

Há mais 197 pessoas internadas para um total de 4240. Número de infectados em unidades de cuidados intensivos diminuiu pela primeira vez em quase duas semanas. O país soma 8236 mortes e 507.108 casos desde o início da pandemia.

Há novos máximos de vítimas mortais por covid-19 e novos casos em Portugal: o boletim desta quarta-feira da Direcção-Geral da Saúde indica que morreram mais 156 pessoas e foram identificadas 10.556 novas infecções na terça-feira. Desde o início da pandemia, o país soma 8236 mortes e conta já mais de 500 mil casos identificados (507.108).

O número de mortes ultrapassa o máximo diário registado no dia anterior (155 esta terça, valor relativo a segunda-feira), enquanto o número de casos suplanta os 10.176 notificados no boletim de 8 de Janeiro – nesse dia registou-se ainda um máximo de mortes até então (118), bem como valores-recorde de internamentos e doentes em unidades de cuidados intensivos.

O relatório de situação actualizado indica que há mais 197 pessoas internadas, elevando para 4240 o total. Este número aumentou todos os dias de 2021, atingindo esta quarta-feira um novo máximo deste indicador pelo quinto dia consecutivo. Desde a passagem de ano, o número de internados aumentou 51%.

Já o número de doentes em unidades de cuidados intensivos diminuiu pela primeira vez desde o boletim de 31 de Dezembro: há agora 536 doentes em UCI, menos três que no dia anterior.

Há mais 4460 pessoas recuperadas, aumentando o total de recuperações no país para 382.544. Excluindo estes casos e os óbitos, há 116.328 casos activos em Portugal, mais 5940 do que no dia anterior.

Dos 10.556 casos registados, Lisboa e Vale do Tejo foi a região com mais infecções identificadas, com 3973, seguida pela região Norte, que contabilizou na terça-feira 3628 – juntas somam 7601 novos casos, 72% do total nacional. Seguem-se o Centro, com 2136 casos; o Alentejo, com 475 novas infecções (também um recorde), o Algarve, com 411 casos; os Açores, com 69 infecções; e a Madeira, com 44.

Lisboa e Vale do Tejo somou 67 mortes, o Norte e o Centro 36 cada um. Há ainda registadas mais 11 mortes no Alentejo e seis no Algarve.

O Norte continua a ser a região mais afectada desde o início da pandemia, com 3569 mortes em 242.209 casos. Lisboa e Vale do Tejo é a região seguinte, com 2910 mortes e 167.547 infecções identificadas.

Segue-se a região Centro, com 1269 mortes e 65.184 casos; o Alentejo, com 347 óbitos e 16.205 infecções; o Algarve, com 99 vítimas mortais e 10.982 casos de infecção; os Açores, com 2725 casos notificados e 22 mortes; e a Madeira, com 2256 infecções e 20 mortes.

O crescimento muito acelerado da pandemia e a pressão exercida sobre os serviços de saúde levaram o Governo a impor um novo confinamento geral. As medidas deste cenário ainda vão ser aprovadas esta quarta-feira, ao abrigo do projecto de decreto presidencial do nono estado de emergência que foi assinado esta manhã por Marcelo Rebelo de Sousa. O novo confinamento entrará em vigor às 00h de quinta-feira, 14 de Janeiro, e vai durar até às 23h59 de 30 de Janeiro.