Um mundo novo, s.f.f.

Ao som dos excertos da 7.ª Sinfonia de Beethoven, escolhidos pela direcção musical de Martim Sousa Tavares e banhados pelo desenho de luz de José Álvaro Correia, sigamos o movimento desta massa de corpos femininos procurando no despojamento da nudez encontrar-se tornando-se una

monica-calle,teatro-nacional-d-maria-ii,critica,teatro,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
bruno simão
monica-calle,teatro-nacional-d-maria-ii,critica,teatro,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
bruno simão
monica-calle,teatro-nacional-d-maria-ii,critica,teatro,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
bruno simão
monica-calle,teatro-nacional-d-maria-ii,critica,teatro,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
bruno simão
,CARTA
Fotogaleria
bruno simão
beethoven,monica-calle,teatro-nacional-d-maria-ii,teatro,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
bruno simão
Instrumento de cordas
Fotogaleria
bruno simão

Alguém pediu um sonho? Aqui vai: Carta é um “lugar de utopia e de afirmação de que só existimos enquanto indivíduos na ligação com os outros.” Já está. E estas palavras, que, noutro dia qualquer, podiam ser apenas uma declaração de intenções, ditas aí uma meia-hora depois do Governo mandar, outra vez, fechar os teatros, ganham dimensão e substância pois relevam o desejo de comunhão; mais, relevam da necessidade de resistência ao isolamento e da lucidez quando o maremoto da peste sanitária e social se encapela e é urgente reencontrar a vida, ou mesmo criar uma nova, principalmente uma em que aquela parte da alegria e do prazer se encontrem mais vezes.