Morreu Sylvain Sylvain, guitarrista dos históricos do punk New York Dolls

Enquanto membro da banda de Personality Crisis abriu caminho para o punk através do regresso à crueza original do rock’n’roll e de uma, à época, provocatória, ambiguidade sexual. A morte chegou aos 69 anos, dois anos depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro.

Foto
Sylvain Sylvain, ao centro, no concerto dos New York Dolls em Paredes de Coura, em 2007 NELSON GARRIDO / PUBLICO

Nos primeiros tempos dos New York Dolls, quando fazia a pé (não havia dinheiro para táxis) a caminhada de 15 minutos entre a sua casa e o Mercer Arts Center em que a banda começou a construir a sua lenda, avançava pelas ruas confiante, mas temendo pela vida. Eram duras as ruas de Nova Iorque naquele início dos anos 1970, ainda mais para alguém como ele, estrela rock’n’roll antes de o ser oficialmente, vestido com roupa da namorada ou com peças que ele próprio criava e que acentuavam a androginia que a banda exibia como manifesto provocador. Mas Sylvain Sylvain não podia fazer de outra maneira. Para ele, não havia o palco e o mundo fora dele. Enquanto guitarrista dos New York Dolls, banda fundamental na história do rock’n’roll, gatilho determinante na explosão punk, e até ao fim da vida — a morte chegou esta quarta-feira, aos 69 anos, culpa de um cancro, anunciou a sua mulher, Wanda O’Kelley Mizhari—, Sylvain Sylvain encarnou em corpo e espírito a jovialidade e o espírito rebelde e excessivo do rock’n’roll.