Santini fecha lojas e pára serviços de entregas e take-away

A decisão é “inédita”: marca de gelados Santini decide fechar temporariamente todas as lojas, deixando de prestar serviços de entrega ao domicílio e take-away.

Foto
DR

Esta quarta-feira, José Avillez decidia encerrar temporariamente as cozinhas de todos os seus restaurantes, numa resposta ao momento dramático que o país enfrenta devido à pandemia.

Agora, o grupo Santini toma igual decisão, “inédita na sua longa história”, assumindo como prioridade a protecção de “clientes, parceiros e equipa”. O objectivo, aponta em comunicado, passa por “contribuir activamente para a não progressão da pandemia” e “para a melhoria das condições de saúde de todos” os portugueses.

“Este é o momento para nos recolhermos em casa, na premissa de nos protegermos e aos que nos são próximos, ajudando o nosso país a sair desta situação pandémica alarmante”, defende Marta de Botton, administradora da marca, em nota enviada à imprensa. “Tomamos esta decisão na esperança de podermos receber os nossos clientes de volta às lojas, de ânimo positivo, o mais rapidamente possível.”

A decisão tem efeito a partir desta quinta-feira, com o encerramento de todos os espaços da marca no país e suspensão dos serviços de take-away e entregas ao domicílio. Os gelados Santini passam agora a estar disponíveis apenas nas lojas SuperCor El Corte Inglés (Beloura, Lisboa, Gaia e Fluvial), no Mercado da Carne em Cascais e no Passe (take-away R. Sousa Pinto 10, Lisboa Lisboa).

Recorde-se que em Março, durante o primeiro confinamento, o grupo decidiu investir no desenvolvimento das entregas ao domicílio através de diferentes plataformas, reabrindo duas das lojas logo a 18 de Maio, inaugurando ainda um novo espaço, na Rua das Flores, no Porto.