Covid-19: novo máximo diário de 221 mortes em Portugal. Há mais de 700 doentes nos cuidados intensivos

Foram identificados mais 13.544 casos, o segundo registo mais alto de sempre. Há mais 5630 pessoas internadas, mais 137 do que no dia anterior. Este número aumenta consecutivamente há 20 dias.

Foto
Rui Oliveira

Portugal registou mais 221 mortes por covid-19, um novo máximo diário, e 13.544 novos casos de infecção na quarta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) desta quinta-feira. O número de vítimas mortais sobe assim para 9686 e o total de infectados ascende a 595.149 desde o início da pandemia.

É o quarto dia consecutivo em que se regista um máximo de vítimas mortais em 24 horas, depois de 167 no boletim de segunda-feira, 218 na terça-feira e 219 no relatório de situação de quarta-feira. Estes números fazem aumentar a média diária de vítimas mortais para 154 pessoas nos últimos 15 dias.

O número de infecções identificadas é o segundo mais alto de sempre, apenas atrás dos 14.647 casos reportados no boletim do dia anterior.

Desde o início deste ano, Portugal registou 2714 mortes e 174.520 novos casos de infecção – isto significa que perto de um terço do total de mortes e dos casos detectados desde o início da pandemia aconteceram nos últimos 20 dias (28% e 29%, respectivamente).

O relatório de situação actualizado indica que há 5630 pessoas internadas, mais 137 do que no dia anterior. O total de hospitalizações é mais uma vez um máximo desde o início da pandemia, sendo que este indicador aumenta consecutivamente há 20 dias, com a última diminuição do número de pessoas internadas a ter acontecido a 31 de Dezembro (e registado no boletim de 1 de Janeiro).

O país ultrapassou os 700 doentes em unidades de cuidados intensivos: são agora 702 nestas unidades, mais 21 que no dia anterior.

Há mais 5873 pessoas recuperadas, aumentando o total no país para 434.237. Excluindo estes casos e os óbitos, há 151.226 casos activos em Portugal, mais 7450 do que no dia anterior.

Lisboa e Vale do Tejo foi a região que registou o maior número de mortes e de novos casos, com 85 vítimas mortais (38,5% da contagem total) e 5401 infecções (39,8% do total nacional). A região Centro contabilizou mais 59 mortes, mais seis que as 53 registadas no Norte, quando se somaram 4510 novos casos (na região Centro foram 2539).

O Alentejo tem agora mais 16 mortes e 638 novos casos e o Algarve somou mais oito óbitos e 355 mortes. O boletim não reporta mortes nos Açores e e na Madeira, que somaram mais 23 e 78 novos casos, respectivamente.

O Norte continua a ser a região mais afectada desde o início da pandemia, com 3919 mortes em 270.894 casos. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 3515 vítimas mortais e 202.712 infecções identificadas.

Há também registo de 1598 mortes em 81.492 casos no Centro; 463 óbitos e 20.230 infecções no Alentejo; 140 vítimas mortais e 13.711 casos de infecção no Algarve; 3116 casos notificados e 22 mortes nos Açores; e 2944 infecções e 29 mortes na Madeira.