Escolas nos Açores fechadas há 15 dias. Cordão sanitário em Ponta Garça levantado, mantém-se o de Rabo de Peixe

Foi o secretário regional da Saúde que destacou que a região já encerrou as escolas há quinze dias em contraponto com a situação do continente e afirmou que a situação epidemiológica está “controlada”.

Foto
rui pedro soares

Actualmente existem dois cordões sanitários nos Açores, nas freguesias de Ponta Garça de Rabo de Peixe, em São Miguel. A partir da próxima sexta-feira, dia 22, será levantado o de Ponta Garça e permanecerá o de Rabo de Peixe, que vigorará pelo menos durante mais uma semana, até 29 de Janeiro.

O anúncio foi feito esta quinta-feira pelo secretário regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, em conferência de imprensa. A justificação prende-se com a operação de testagem naquelas duas freguesias que desde terça-feira já detectou 82 casos positivos em 2871 testes. Desses, 71 positivos foram identificados em Rabo de Peixe e 11 em Ponta Garça. “Existe 5% positividade de testes em Rabo de Peixe e 2% em Ponta Garça. Isso faz com que se entenda que durante um mais uma semana continua a cerca em Rabo de Peixe e não exista cerca em Ponta Garça”, afirmou o responsável político pela saúde na região, dramatizando em seguida: “imaginem o que não seria se não tivéssemos feito o que fizemos”.

O levantamento da cerca naquela freguesia da costa sul da ilha de São Miguel acaba por ser a única grande novidade da conferência de imprensa do secretário regional, que serviu também para anunciar o prolongamento de todas as outras medidas em vigor. Assim, até 29 de Janeiro, continua tudo igual em São Miguel, a única ilha açoriana onde o risco de contágio da covid-19 é elevado: as escolas vão continuar encerradas, os cafés e restaurantes só podem abrir presencialmente até às 15h e continuará a vigorar o recolher obrigatório das 20h às 5h durante a semana e das 15h às 5h ao fim de semana. As restrições serão avaliadas semanalmente.

Sobre as medidas em vigor, Clélio Menezes fez questão de puxar dos galões acerca da decisão de encerrar as escolas, anunciada a 7 de Janeiro. “O governo da república vem decidir hoje o que já tínhamos decidido há 15 dias. Estamos assim a agir com prudência e antecipação”, afirmou, destacando a “incompreensão” da medida quando anunciada.

O governo regional decidiu ainda autorizar a presença de público nos recintos desportivos até um quarto da lotação nas ilhas de baixo risco – ou seja em todas as outras oito ilhas à excepção de São Miguel. “É mais seguro determinar limites de lotação em que se cumpre distanciamento ente espectadores do que fazer de conta que não se sabe o que está a passar”.

A permissão de público no desporto torna evidente a disparidade entre as diferentes situações epidemiológicas da região, que nos últimos dias têm registado uma diminuição do número de casos activos. Há uma semana, a 14 de Janeiro, existiam 846 casos positivos. Actualmente estão identificados 643 infectados na região: 621 em São Miguel, 16 na Terceira, um no Faial, um no Pico e quatro nas Flores. Corvo, Santa Maria, São Jorge e Graciosa não têm qualquer caso. 

Números que levam o executivo açoriano a ser categórico: “a situação nos Açores está perfeitamente controlada”. Desde o início da pandemia foram identificados 2908 casos de infecção pelo novo coronavírus, verificando-se 23 óbitos e 1942 recuperações.