Casas más e famílias de baixa escolaridade: a ficção do ensino em casa

Se o ensino normal, antes da pandemia, já era brutalmente desigual, é imaginar o que aí vem. O ensino à distância é coxo, especialmente para as crianças mais pobres.

Aplaudi a decisão do governo de suspender o ano letivo durante duas semanas, em vez de passar para ensino não presencial. A ideia de que estes dias de suspensão seriam compensados por ensino presencial reconhece o óbvio: que o ensino a distância não é verdadeiro ensino. Assumi-lo e recuperar mais tarde parecia a decisão acertada.