Um pedófilo escapou à justiça no Quénia, mas uma “mulher vulgar” tratou do assunto

Depois de uma viagem ao Quénia, a enfermeira americana Margaret Ruto apercebeu-se de uma coincidência que mudaria a sua vida. Foi a partir dela que decidiu começar uma investigação para tentar apanhar Gregory Dow, um predador sexual que dirigia uma orfanato no Quénia, onde abusou de várias crianças.

Foto

É impossível ignorar determinadas coincidências. Margaret Ruto, uma enfermeira da Pensilvânia com 30 e poucos anos, pensou que estava a regressar às verdes colinas da região do cultivo de chá do Quénia para cuidar da sua mãe, que estava no fim da sua vida. Em vez disso, aguardava-a uma volta do destino. Um homem que vivia a apenas dez minutos da sua casa nos Estados Unidos tinha inaugurado um orfanato, situado a nem dez minutos da aldeia ancestral da sua família no Quénia — e as crianças andavam a dizer que tinham sido vítimas de abuso sexual ali.