ONU pede “fim do racismo ambiental” no estado do Louisiana

Numa faixa de território onde o trabalho escravo foi substituído pela indústria petroquímica, a população de maioria afro-americana é a mais afectada pela poluição e pelo desemprego.

Foto
Refinaria da ExxonMobile perto de Baton Rouge, no Louisiana WClarke/Wikimedia Commons

Um grupo de peritos em questões ambientais e direitos humanos apelou ao Presidente dos EUA, Joe Biden, e ao governo do estado norte-americano do Louisiana, para que travem a construção de novas fábricas numa área conhecida como “rua do cancro” – uma extensão de quase 150 quilómetros, nas margens do rio Mississípi, onde as populações de maioria afro-americana são as mais atingidas pela poluição e as que menos beneficiam dos postos de trabalho criados pelas empresas transnacionais.