Ambiente

Neste Inverno, um quarto das borboletas-monarcas não voltou ao México. E a culpa é da crise climática

Todos os anos, as borboletas-monarcas do Canadá e dos Estados Unidos da América migram para hibernar nas florestas mexicanas. Em 2020, a população de borboletas no México caiu 26%. Tudo por causa das alterações climáticas e da desflorestação.

Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Fotogaleria
Reuters/TOYA SARNO JORDAN

No Inverno de 2020/2021, chegaram às florestas mexicanas menos 26% de borboletas-monarcas – ou menos um quarto da população – em comparação com o mesmo período do ano anterior, disse a World Wildlife Fund México, num relatório publicado a 25 de Fevereiro de 2021.

Durante dois meses, e numa jornada de mais de 3000 quilómetros, vindas do Canadá e do norte dos Estados Unidos, milhares de borboletas migram, como pássaros, com destino ao México, para hibernar num clima mais ameno, conta a Reuters, que as fotografou no santuário de El Rosario. Em Dezembro de 2020, as borboletas-monarcas, de asas laranja e pretas, ocupavam apenas 2,1 hectares nas florestas mexicanas. No mesmo mês do ano anterior, ocupavam 2,8 hectares, concluiu a World Wildlife Fund (WWF).

Segundo a organização de protecção ambiental, as alterações climáticas, a exploração florestal e consequente perda de habitats – e das asclépias, plantas essenciais para a alimentação e reprodução da espécie – nos Estados Unidos e no México tiveram um “impacto considerável” na alteração do padrão de migração das borboletas, que a Reuters fotografou 

A WWF, em colaboração com a Comissão Nacional de Áreas Naturais Protegidas do México e a Universidade Nacional Autónoma do México, afirma que quase 20 hectares de floresta foram destruídos entre Março de 2019 e Março de 2020, na Reserva da Biosfera da Borboleta-Monarca, em Michoacán, no sudoeste mexicano. A degradação florestal é quatro vezes superior à registada em 2019. A análise à Reserva de Michoacán revelou também que a desflorestação ilegal é a principal causa da sua degradação.

Jorge Rickards, director geral da WWF México, afirma que a borboleta-monarca não está em risco de extinção, mas o processo de migração está sob ameaça, e apela ao Governo, à sociedade civil e à comunidade científica do México, Estados Unidos da América e Canadá que reúnam esforços nos respectivos territórios para proteger a espécie.

Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Reuters/TOYA SARNO JORDAN
Sugerir correcção