Autárquicas: PSD apresenta 23 novos candidatos e confirma Carreiras em Cascais

Nuno Matias, em Almada, e Bruno Vitorino, no Barreiro, perderam as eleições em 2017, mas voltam a ter o apoio do PSD. Carlos Carreiras, em Cascais, e Ricardo Rio, em Braga, são dois autarcas em funções que se recandidatam.

Foto
José Silvano anunciou os nomes de candidatos do PSD Rui Gaudencio

O PSD apresentou 23 novos candidatos autárquicos, muitos deles em câmaras difíceis para o partido, e confirmou outros 77 presidentes que podem voltar a concorrer ao lugar, como é o caso de Carlos Carreiras, em Cascais, Salvador Malheiro, em Ovar, Ribau Esteves, em Aveiro, e Almeida Henriques, em Viseu. Santana Lopes ainda está em dúvida e o candidato ao Porto está nas mãos de Rui Rio, assegurou o presidente da comissão autárquica do PSD, José Silvano.

Na apresentação das cem candidaturas autárquicas já confirmadas pela comissão política nacional, nesta quarta-feira, José Silvano admitiu haver apenas um número residual de casos no global das 308 câmaras em que a direcção do partido não concordou com a proposta das estruturas locais, como aconteceu em Coimbra. “Não teremos mais de uma dezena deles em que haverá divergência de fundo entre as estruturas e a sede nacional. Assumimos a escolha desses candidatos quando não há consenso”, afirmou o secretário-geral, atribuindo à direcção nacional a responsabilidade política por esses candidatos nos resultados eleitorais.

Em relação a Pedro Santana Lopes, antigo líder do PSD e fundador do partido Aliança do qual já se afastou, José Silvano não confirmou informações que o indicavam como candidato à Câmara de Sintra. “Não sei se ele vai ser indicado para Sintra. Não sei se o Santana é candidato a Sintra, a qualquer outra câmara e se é candidato pelo PSD”, disse em resposta aos jornalistas.

Entre os novos nomes apresentados está o de Nuno Matias (Almada), os ex-deputados Bruno Vitorino (Barreiro) e Paulo Ribeiro (Palmela), Luís Santos (Santiago do Cacém), Álvaro Coimbra (Penacova), Nelson Batista, actual presidente da Junta de Freguesia de Lousa, (Loures), Rui Corça, vereador (Azambuja), Jorge Costa (Moimenta da Beira) e João Valério, que é independente (Oliveira de Frades).

Da lista de 77 presidentes que já estão em exercício e que podem voltar a candidatar-se estão também o de Estarreja (Diamantino Sabina), Santa Maria da Feira (Emídio Sousa), Braga (Ricardo Rio), Vila Nova de Famalicão (Paulo Cunha), Bragança (Hernâni Dias), Faro (Rogério Bacalhau), Mafra (Hélder Sousa Silva), Maia (António Silva Tiago), Santarém (Ricardo Gonçalves) e Viseu (Almeida Henriques). “Estes 77, quando quiserem apresentar candidatura, poderão fazê-lo no tempo e na forma que o quiserem. Para estes casos, logo que o queiram, homologamos na mesma semana”, referiu José Silvano.

Quanto ao candidato do Porto, José Silvano remeteu para Rui Rio por ser um caso semelhante ao de Lisboa, admitindo não conhecer o nome que já estará pensado.

Assegurando que todos os nomes dos candidatos autárquicos às câmaras serão divulgados até 31 deste mês, José Silvano sustentou que todo o processo foi “tranquilo” e que “não se pode confundir a árvore com a floresta”. No caso de Coimbra, Nuno Freitas foi escolhido pelas estruturas locais e foi recusado pela direcção depois de terem sido feitas sondagens sobre o seu nome. “A comissão autárquica entendeu, depois de estudos de opinião, [que Nuno Freitas] não tinha condições para ganhar a câmara ao PS, e teremos um candidato capaz de ganhar a câmara ao PS, eu não telefonei a comunicar ao próprio candidato, fui lá. Os meus dados são estes: este candidato não está em condições de ganhar, agora estamos no processo de escolha, não foi ainda homologado”, disse sobre o nome entretanto avançado de José Manuel Silva, ex-bastonário da Ordem dos Médicos que concorreu como independente em 2017.

Além dos 23 nomes conhecidos nesta quarta-feira de manhã, há ainda a candidatura de Carlos Moedas em Lisboa e a de Fernando Negrão em Setúbal, somando um total de 102 os candidatos já anunciados pelo PSD.

Confirma-se a informação avançada pelo PÚBLICO em Setembro de que há 13 actuais presidentes da câmara eleitos pelo PSD que não podem recandidatar-se por causa da limitação dos mandatos. Há ainda quatro ou cinco, de acordo com o secretário-geral do PSD, que não pretendem voltar a concorrer, como é o caso de Diogo Mateus (Pombal). Diogo Mateus informou que não será candidato de novo, mas José Silvano considera que “até pode vir a mudar de opinião”.