Marcelo janta com Ferro no Palácio de Belém e almoça com Costa em São Bento

Ambos os convívios pretendem assinalar o fim do primeiro mandato de Marcelo Rebelo de Sousa em Belém.

Foto
Marcelo Rebelo de Sousa com Ferro Rodrigues Daniel Rocha

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai jantar, na noite desta quarta-feira, com Presidente da Assembleia da República no Palácio de Belém. O momento pretende encerrar o primeiro mandato presidencial. Na quinta-feira, após participar no Conselho de Ministros sobre Florestas, Marcelo almoçará com o primeiro-ministro em São Bento, a convite do próprio. 

“Para assinalar o fim de um mandato que se pautou por uma assinalável solidariedade institucional, o Presidente da República convidou para jantar hoje no Palácio de Belém, o Presidente da Assembleia da República, Dr. Eduardo Ferro Rodrigues”, lê-se numa nota publicada no site da Presidência.

O jantar entre as duas primeiras figuras do Estado acontece dias antes da tomada de posse de Marcelo, marcada para às 10h de terça-feira, dia 9 de Março. O modelo da cerimónia foi acertado entre os gabinetes dos dois presidentes e foi comunicado após a reunião da conferência de líderes parlamentares da última quarta-feira.

Já o almoço de quinta-feira, em São Bento, foi confirmado à agência Lusa pelo Governo. Este convívio realiza-se depois de Marcelo Rebelo de Sousa presidir ao Conselho de Ministros a convite de António Costa e insere-se na iniciativa do primeiro-ministro de assinalar o fim do primeiro mandato do Presidente da República.

Há cinco anos, António Costa também convidou o então Presidente da República, Cavaco Silva, em fim de mandato, para presidir a um Conselho de Ministros, que se realizou seis dias antes de Marcelo Rebelo de Sousa lhe suceder nas funções de chefe de Estado.

O que se sabe sobre a posse

“O cerimonial protocolar será reduzido ao essencial, com menos cortejos e cortejos com um menor número de elementos”, lê-se na súmula da conferência de líderes, que explica ainda que a presença do efectivo militar também “será reduzida”.

Dos 230, apenas 50 deputados estarão presentes no plenário os convidados serão limitados "às mais altas precedências do Protocolo do Estado Português”, no total de uma centena. Do lado do Governo, “serão convidados apenas o primeiro-ministro, os quatro ministros de Estado e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares”. A mulher do primeiro-ministro será convidada, assim como os candidatos presidenciais. O corpo diplomático será representado pelo Núncio Apostólico.

“Serão reduzidos ao mínimo os contactos durante toda a cerimónia e salvaguardadas todas as recomendações e orientações das autoridades de saúde, em especial no que diz respeito às distâncias de segurança”, mantendo-se "o momento de apresentação de cumprimentos no Salão Nobre”, reservado apenas "aos vice-presidentes, aos secretários da mesa, aos presidentes dos grupos parlamentares, aos deputados únicos representantes de partido e às deputadas não inscritas, bem como aos convidados presentes na Sala das Sessões" (mas sem contacto físico).

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito nas presidenciais de 24 de Janeiro com 2.531.692 votos e uma percentagem de 60,66%.