Operação Marquês, uma questão de confiança

A prolongada exposição destes casos funciona sempre como uma condenação pública – e uma eventual não -confirmação das acusações em tribunal contribui para reforçar o estereótipo de que a aplicação da justiça varia em função do poder de cada um.

Foram necessários mais de sete anos para saber se José Sócrates, Ricardo Salgado e mais 26 arguidos irão ou não ser julgados pelos crimes que lhes são atribuídos pelo Ministério Público. Finalmente. A lentidão da justiça portuguesa não é uma novidade recente e o Estado português já foi condenado dezenas de vezes por essa razão no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.