Orbán prejudica a Hungria

Como o futebol substituiu as guerras medievais, o jogo entre a Hungria e o campeão europeu representava para o primeiro-ministro húngaro a possibilidade de uma vitória simbólica sobre a União Europeia, na qual o seu país tem estado isolado.

O húngaro Orbán, decerto involuntariamente, prejudicou a Hungria quando desviou para o fundo da baliza da sua equipa um remate de Raphael Guerreiro, ao minuto 83 do jogo Hungria-Portugal na Puskás Aréna, muito bem emoldurada de público, em Budapeste.