Cem anos depois, ainda se foge do comunismo

Não se distraiam com preciosismos. O que a velocista Krystsina Tsimanouskaya tiver para dizer sobre a ditadura bielorrussa é para ser levado a sério.

Fui à procura da lista dos atletas que nos anos de vida da União Soviética — 1922-1991 — deixaram tudo e foram viver num país democrático. Com a deserção da atleta bielorrussa Krystsina Tsimanouskaya, esta semana, nos Jogos Olímpicos de Tóquio, não fui com certeza a única.

Sugerir correcção
Ler 69 comentários