Domínio de Quartararo em Silverstone e primeiro pódio da Aprilia

Miguel Oliveira, que partiu do 20.º lugar, terminou o GP da Grã-Bretanha na 16.ª posição.

Foto
Reuters/ANDREW BOYERS

Fabio Quartararo (Yamaha) reforçou a candidatura ao título mundial de MotoGP, ao dominar por completo o Grande Prémio (GP) da Grã-Bretanha, neste domingo, descolando ainda mais da concorrência no topo da classificação. Em Silverstone, onde Miguel Oliveira (KTM) não foi além da 16.ª posição, o dia foi também da Aprilia: pela primeira vez na actual era do motociclismo de velocidade, o construtor italiano conseguiu um lugar no pódio.

A consistência de Quartararo continua a fazer estragos junto dos rivais e o piloto francês voltou a ser imperial, registando quase sempre um tempo entre os 2m00s e os 2m08s, para oferecer à Yamaha o primeiro triunfo no circuito britânico desde 2015 e deixar o segundo classificado, Alex Rins (Suzuki), a 2,6 segundos de distância. 

Uma das lutas mais interessantes, numa corrida que ficou desde muito cedo sem Marc Márquez e Jorge Martin (uma tentativa de ultrapassagem provocou um toque entre ambos), incidiu sobre o terceiro lugar. Durante algumas voltas chegou a ser um “assunto familiar”, entre Aleix Espargaró (Aprilia) e Pol Espargaró (Honda), mas no último terço da corrida Jack Miller (Ducati) deu um passo em frente.

O australiano entrou na derradeira volta a morder os calcanhares a Aleix, chegou a conseguir a ultrapassagem, mas já não foi capaz de defender a posição na curva seguinte e o catalão transformou mesmo uma grande corrida num momento histórico para a Aprilia, que nunca tinha subido ao pódio na era MotoGP.

Numa prova que colocou seis construtores diferentes nos seis primeiros lugares, Miguel Oliveira não conseguiu atingir a zona pontuável. O português da KTM, que na véspera tinha feito uma qualificação que reputou de “frustrante”, com um modesto 20.º lugar, rapidamente chegou ao 18.º posto e andou praticamente toda a corrida no encalço de Cal Crutchlow (Yamaha).

No entanto, foi apenas nas duas últimas voltas que subiu mais dois degraus, tirando partido de uma queda abrupta de Valentino Rossi (Yamaha) na classificação para, logo depois, superar Cutchlow e ainda ir à procura de Luca Marin (Ducati), mas já sem tempo de conseguir alcançá-lo.

Conta feitas, Fabio Quartararo lidera agora o Mundial com 206 pontos, mais 65 do que o segundo, Joan Mir (Suzuki) e mais 69 do que Johann Zarco (Ducati), que em Silverstone não foi além de um 11.º lugar. Francesco Bagnaia (Ducati) desceu duas posições e é agora quarto, enquanto Miguel Oliveira conserva o oitavo posto, com 85 pontos, apenas mais dois do que Aleix Espargaró.

A próxima paragem do campeonato será em Aragão, a 12 de Setembro, naquela que será a 13.ª de 18 corridas nesta temporada. A penúltima, já se sabe, reserva à comitiva do MotoGP um regresso a Portugal, a 7 de Novembro, para o Grande Prémio do Algarve.