Caro ministro, o que é feito do milhão de euros?

A dignidade dos serviços depende mais de quem os dirige do que do nome que têm. Caro ministro Eduardo Cabrita, o que é feito de 1.022.500 euros que eram dos refugiados?

O caso é fácil de contar e difícil de aceitar. Entre 2017 e 2019, pelo menos, cada Estado-membro da União Europeia (UE) recebia dez mil euros pelo acolhimento de um refugiado. No caso português, as verbas eram entregues ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que as transferia para o Alto Comissariado para as Migrações.