Apple lança novos telemóveis, relógios e tablets com foco na sustentabilidade

Além do foco habitual na privacidade, a tecnológica norte-americana destacou os esforços para ser mais sustentável. Quase todos os produtos foram feitos com algum tipo de material reciclável.

Foto
Tim Cook com o novo iPhone 13 Pro EPA/APPLE INC. HANDOUT

Quatro novos telemóveis (o mais barato custa 829 euros) com melhores câmaras e baterias com mais capacidade, dois novos tablets, um relógio com algoritmos mais minuciosos a contar calorias e uma aplicação para fazer exercício com outros donos de produtos da Apple. Estas foram algumas das novidades anunciadas no mais recente evento da Apple transmitido em directo de Cupertino, na Califórnia, esta terça-feira.

Além do foco habitual na privacidade, a tecnológica norte-americana tentou mostrar que está a tentar ser mais amiga do ambiente. Quase todos os produtos foram feitos com algum tipo de material reciclável — as antenas do iPhone 13, por exemplo, foram criadas com antigas garrafas de água de plástico. E os novos iPads são feitos de alumínio reciclado. Todos os telemóveis são compatíveis com as novas redes 5G.

O PÚBLICO compilou uma lista com algumas das novidades e os preços. 

Antenas feitas de plástico reciclado

Numa tentativa de evitar o desperdício, as antenas dos novos iPhone 13 (929 euros) e do iPhone 13 Mini (829 euros) foram criadas com antigas garrafas de plástico. Ambos os telemóveis vêm com uma câmara frontal e duas câmaras traseiras, organizadas na diagonal, com 12 megapixels. Como o novo “Cinematic Mode” (modo cinemático, em português) o telemóvel é capaz de seguir pessoas num vídeo sem as deixar ficar desfocadas. Os algoritmos da app da câmara foram treinados com técnicas de cinematografia.

Quanto a diferenças: o iPhone 13 tem 6,1 polegadas e vem com uma bateria que permite ver vídeos online, em streaming, durante 15 horas. O iPhone 13 tem 5,4 polegadas e aguenta 13 horas de streaming

Foto
iPhone 13, a partir dos 829 euros DR

Os novos “Pro”

Os novos iPhone 13 Pro (a partir de 1179 euros) têm uma banda de aço inoxidável nas laterais. Disponível em dois tamanhos — 6,1 polegadas no Pro e 6,7 polegadas no Pro Max —, possuem três câmaras traseiras (lente ultra angular, grande angular e telefoto) com 12 megapixels, e uma frontal com 12 megapixels. O ecrã tem 120Hz, o que na prática quer dizer que actualiza 120 vezes por segundo, sendo ideal para videojogos. No entanto, para poupar bateria, o ecrã funciona com menos Hz quando o utilizador apenas está a navegar em sites ou a ler textos. É algo que os telemóveis da sul-coreana Samsung já fazem desde o modelo Galaxy Note 20

O ecrã tem 1000 nits. Na base, um nit é a unidade de medida que descreve o brilho de uma televisão, smartphone, ou outro tipo de ecrã. Quanto maior o número de nits, mais brilhante é o ecrã. Regra geral, um ecrã tem entre 200 a 300 nits.

Foto
iPhone 13 Pro Max

Além do modo cinemático, as lentes do aparelho permitem tirar fotografias, em detalhe, a dois centímetros do sujeito: ideal para fotografias macro, como abelhas a pousar em flores. Enquanto a bateria do Pro Max deve permitir passar mais do que um dia a ver vídeos (28 horas), o Pro aguenta 22 horas de vídeo.

Todos os telemóveis vêm com os mais recentes processadores da Apple, os A15 Bionic, com o armazenamento a começar nos 128 GB — nos modelos Pro pode chegar a 1 TB. 

Do chat para o ginásio de pulso

O serviço de exercício físico da Apple, o Apple Fitness +, passa a permitir organizar treinos em conjunto a partir da aplicação de mensagens da marca. Ou seja, pode-se começar um treino com outros donos de produtos Apple (relógio, telemóvel, tablet ou televisão) a partir de uma conversa no  iMessage. Os treinos podem incluir até 32 pessoas. 

Foto
O sistema Fitness +, da Apple, ainda não está disponível em Portugal APPLE INC

O serviço ainda não está disponível em Portugal. Nos EUA, a subscrição ronda os dez dólares por mês. 

Tablets 5G feitos com alumínio reciclado

Mantendo a aposta no ambiente, tanto o novo iPad (desde 399 euros) como o novo iPad Mini (569 euros) são feitos a partir de alumínio reciclado. Ambos são compatíveis com as novas redes 5G. Tal como nos telemóveis, as câmaras têm 12 megapixeis. Apesar de o iPad não ser o aparelho mais popular da Apple, a pandemia trouxe mais atenção para o produto. Com muitas pessoas a começarem a trabalhar e a estudar, a partir de casa, surgiu uma maior necessidade para ter mais ecrãs em casa. O ecrã do iPad Mini tem 500 nits.

Foto
Novos iPad Apple INC

Relógios para ler melhor

Os novos relógios Apple Series 7 (a partir de 309 euros), prometem ser mais resistentes e vir com um ecrã 20% maior que o Series 6. Com isto, as mensagens e emails apresentados no ecrã do relógio incluem 50% mais texto e é possível responder a mensagens, directamente no pulso, com um teclado virtual.

Foto
Apple Watch Series 7 APPLE INC

Os relógios também continuam a ser capazes de detectar problemas no ritmo cardíaco dos utilizadores (é algo que a Apple faz desde 2018) e a medir os níveis de oxigénio do sangue. Para a Apple, porém, um dos grandes potenciais do relógio é a capacidade para motivarem as pessoas a serem mais activas. “Fico tão inspirado com o impacto que temos tido nas vidas pessoas”, admitiu o presidente executivo da Apple, Tim Cook, esta terça-feira. “O Apple Watch motiva as pessoas a moverem-se mais.”

Tal como os modelos anteriores, se o relógio deixar de detectar movimento durante mais de um minuto, o sistema alerta os serviços e contactos de emergência. Os algoritmos do relógio também foram actualizados, tornando-se mais minuciosos a registar o progresso de alguém a fazer exercício — do ciclismo ao surf — e a contar calorias. 

Editado 16/09: Acrescentada caixa com dados do Kantar World Panel e os esforços de sustentabilidade da Apple