Se actual chefe do EMA não saísse antes de terminar mandato, Gouveia e Melo já não poderia chegar à chefia da Armada

Mandato de Mendes Calado terminaria em Fevereiro de 2023. Nessa altura, Gouveia e Melo já teria passado à reserva por limite de idade no posto de vice-almirante.

Foto
MIGUEL A. LOPES

Se actual o actual chefe de Estado-Maior da Armada (chefe do EMA), almirante Mendes Calado, não saísse do cargo antes de terminar o seu mandato, que só findaria em Fevereiro de 2023, o vice-almirante Gouveia e Melo já não podia chegar à chefia da Armada.