Opto estreia programa de vinhos: cinco enólogos, uma paixão e uma Grande Reserva

Embora tenham muito a dizer sobre vinhos, falam pouco de si próprios. Mas, em Grande Reserva, são eles os protagonistas. O programa estreia-se a 4 de Outubro, na Opto da SIC, e está repleto de histórias, paixões e ambições de uma mão-cheia de enólogos – ou enólogos de mão-cheia.

tv,vinicultura,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Francisco Albuquerque) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
tv,vinicultura,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Francisco Albuquerque) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
tv,vinicultura,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, David Baverstock) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
tv,vinicultura,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, David Baverstock) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
informacao,tv,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Susana Esteban) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
informacao,tv,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Anselmo Mendes) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
informacao,tv,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Anselmo Mendes) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves
informacao,tv,televisao,lazer,vinhos,fugas,
Fotogaleria
Filmagens de Grande Reserva (na imagem, Luís Sottomayor) Cortesia SIC/Lúcia Gonçalves

Podemos seguir as suas sugestões, apreciar (e aprender) o seu “enologuês” cheio de terroirs, notas e castas, ou vê-los como sábios dos vinhos, gente que anda de vinha em vinha e de prova em prova, à procura do néctar dos néctares. Certo é que, “regra geral, os enólogos nunca falam de si próprios”, nota a sinopse de Grande Reserva – para depois a contrariar.

O programa que se estreia a 4 de Outubro na Opto aventura-se na busca das “raízes e histórias pessoais” destes apreciadores e produtores profissionais, que “têm uma profunda influência na dinâmica que imprimem às suas carreiras e ao carácter dos seus vinhos”, anuncia.

Afinal, “que paixão é essa por castas e vinhas que atravessa gerações e que em cada vindima desafia novas sabedorias?”. É esta a pergunta de partida para os cinco episódios que compõem a série, cada um com um enólogo como protagonista – quatro homens e uma mulher.

“Eu não resisto”, confessará, entre risos, Susana Esteban. “Se vejo que a vinha tem potencial, não consigo dizer que não fico com a vinha”. Natural de Tui, na Galiza, começou no Douro, em finais dos anos 1990, uma carreira que seria premiada com o título de Enólogo do Ano, atribuído pela Revista de Vinhos em 2012, e que a levaria a encantar-se pelos vinhos alentejanos. 

O também premiado David Baverstock, luso-australiano que teve no Douro a primeira experiência, que firmou créditos na Herdade do Esporão e que é o enólogo-chefe da Howard’s Folly, admitirá que, mesmo depois de tantos anos dedicados ao vinho, a reforma não é uma coisa que o interesse muito. “Quero continuar a trabalhar”.

Anselmo Mendes, também conhecido como “o senhor Alvarinho”, há-de falar de um trajecto apaixonante, mas também desafiante e duro. Afinal, foram “anos a fazer catequese, a explicar o vinho, a explicar a região” – esforços de “doutrinação” que se traduziram no estrondoso aumento da popularidade da casta. Estudar, experimentar e questionar têm sido as forças-motrizes do seu percurso. 

Para Francisco Albuquerque, galardoado enólogo e porta-estandarte do vinho da Madeira (está na Madeira Wine Company), “a fórmula secreta é provar, todos os anos, os dois mil e tal cascos” que tem.

Luís Sottomayor, da Sogrape, desmontará a aura de mito que rodeia o Barca Velha, o excelso e valioso tinto da Casa Ferreirinha: “É dos vinhos mais fáceis de fazer, porque ou temos boas uvas, de qualidade, ou não conseguimos fazer.”

À boleia das histórias e pesquisas dos cinco – e das suas dicas sobre “jovens valores na área da enologia a que deveremos estar atentos no futuro” –, o programa vai viajando por várias regiões do país. Alguns cenários são óbvios, como as vinhas, as caves, os lagares, as adegas, a mesa em que repousa o copo. Outros, nem por isso. A proverbial prova não falta a cada episódio, ficando reservada para o final, mas realiza-se em locais tão improváveis como o relvado do Estádio do Dragão ou um carro de cesto funchalense em plena descida. 

A estreia de Grande Reserva acontece em território televisivo reservado aos aderentes da Opto, a plataforma de streaming da SIC. Está marcada para segunda-feira, dia 4 de Outubro, depois de ter estado inicialmente agendada para 24 de Setembro.

Enquadrada no segmento informativo da estação, é da autoria da jornalista Lúcia Gonçalves. A equipa fica completa com Joaquim Gomes, João Pedro Tiago e Carlos Artur Carvalho (imagem), António Soares (edição de imagem), Luís Bispo (grafismo) e Helena Peixoto (produção). 

Deixam uma nota de intenções final: “Grande Reserva recorda-nos sobretudo que o património das gentes da vinha também está na partilha, no convívio que se gera à volta de um vinho. Actos simples da nossa vida comum e que nos foram tão restringidos nos últimos tempos.”