Google vai melhorar a pesquisa com novas ferramentas de IA

O objectivo passa por estabelecer uma ligação ainda maior entre os utilizadores e o conteúdo que procuram, e tornar a pesquisa mais fácil e intuitiva.

Foto
Google vai pôr em prática os avanços conseguidos ao nível da inteligência artificial REUTERS/Dado Ruvic

A Google anunciou que vai pôr em prática os avanços conseguidos ao nível da inteligência artificial, incluindo uma nova tecnologia intitulada “Modelo Multitarefa Unificado” (MUM, na sigla em inglês), para melhorar e facilitar a pesquisa por parte dos utilizadores.

No evento Search On, realizado nesta quarta-feira, a empresa demonstrou como funcionam as novas ferramentas, incluindo aquelas que têm por base o MUM. O objectivo passa por estabelecer uma ligação ainda maior entre os utilizadores e o conteúdo que procuram, tornando a pesquisa mais fácil e intuitiva.

Uma das funcionalidades que será lançada chama-se “Coisas a saber” e pretende tornar mais fácil para os utilizadores compreenderem novos tópicos sobre os quais pesquisam. Esta ferramenta vai assimilando, ao longo do tempo, a forma como as pessoas geralmente exploram vários temas e, depois, apresenta aos utilizadores os aspectos desse tópico ou conteúdo pesquisado aos quais será mais provável eles prestarem atenção.

A Google deu um exemplo: se pesquisar por “pintura acrílica”, esta funcionalidade poderá sugerir “coisas que você deve saber” sobre o tema como, por exemplo, aprender a pintar, passo a passo, os diferentes tipos de pintura acrílica existentes, dicas sobre pintura acrílica ou como limpar tinta acrílica. Sobre este tema em concreto, a Google é capaz de identificar mais de 350 tópicos diferentes, acrescentou a empresa durante a apresentação.

Esta funcionalidade será lançada nos próximos meses, mas a Google garante que o recurso ao MUM permitirá alargar a oferta no futuro, por exemplo, ajudando os utilizadores a aprofundarem ainda mais os conhecimentos (até para além daquilo que tinham inicialmente pensado) sobre um determinado tópico. Voltemos ao exemplo da pintura acrílica: no futuro, a ferramenta poderá até sugerir “como fazer pintura acrílica com produtos que tenha em casa”.

A gigante tecnológica está também a desenvolver novas formas de ajudar os utilizadores a ajustarem e ampliarem as suas pesquisas sem terem de começar uma nova, refere o site especializado em informação na área das tecnologias TechCrunch. Continuando com o exemplo da pintura acrílica, a Google poderá sugerir informação sobre técnicas específicas de pintura ou aulas de arte. Se decidir explorar melhor um tópico, ser-lhe-á apresentada uma página visualmente apelativa de resultados de pesquisa e ideias, incluindo artigos, imagens e vídeos, servindo de fonte de inspiração — um pouco ao estilo do Pinterest.

IA vai identificar conteúdos dos vídeos

A Google vai ainda actualizar as ferramentas de pesquisa de vídeo. A empresa utiliza já a inteligência artificial (IA) para identificar os momentos-chave de um vídeo, mas pretende ir mais longe com o lançamento de uma funcionalidade que irá identificar os tópicos abordados num vídeo (mesmo que o tópico não seja explicitamente mencionado) para depois fornecer ao utilizador links que lhe permitam aprofundar o tema. Ou seja, quando estiver a ver um vídeo no YouTube, o MUM será posto em prática para compreender o conteúdo do vídeo e dar sugestões.

Segundo a Google, esta funcionalidade será lançada numa versão inicial na ferramenta de pesquisa do YouTube nas próximas semanas e será, mais tarde, actualizada.

A tecnologia MUM será também utilizada para melhorar as pesquisas através do Google Lens. “Com este novo recurso, poderá tocar no ícone do Lens quando estiver a olhar para a imagem de uma camisa e pedir ao Google que encontre o mesmo padrão, mas noutra peça de roupa — como, por exemplo, umas meias”, revelou o vice-presidente Prabhakar Raghavan, citado pela agência Reuters. “Isto pode ajudar quando estamos à procura de algo que pode ser difícil de descrever com precisão apenas com palavras”, acrescentou.

Se seleccionar uma imagem, o Google mostrar-lhe-á visuais semelhantes disponíveis online, o que pode ajudar os consumidores a encontrarem o site onde podem comprar os produtos que viram numa fotografia e direccioná-los para o Google Shopping.

O site TechCrunch destaca que o desenvolvimento destas novas ferramentas poderá ser importante para a Google, uma vez que o grande uso dos smartphones tem tido impacto no seu “domínio” do mercado da pesquisa, com os utilizadores a acederem directamente a apps específicas.