Depois dos taliban, a orquestra feminina do Afeganistão tentou fugir. Apenas algumas escaparam

Hoje, o Instituto Nacional de Música do Afeganistão é uma base militar da rede Haqqani, um grupo conservador aliado dos taliban com fortes ligações à Al-Qaeda. Depois de várias provações para saírem do país, as raparigas aguardam no Qatar a partida para Portugal, que concedeu aos membros da orquestra feminina vistos e equipamentos para reiniciar os estudos musicais e as suas vidas.

Foto
Shogofa Safi, de 17 anos, fazia parte da Orquestra Zohra. Já fugiu do Afeganistão. Lorenzo Tugnoli

As raparigas vieram de casas destruídas pela guerra e pela pobreza para perseguir um futuro inimaginável como músicas. E com coragem e determinação conseguiram: algumas tocaram no Carnegie Hall, outras no Kennedy Center. Muitas viajaram pelo mundo como membros da única orquestra feminina do Afeganistão.

Sugerir correcção
Comentar