Ministra da Saúde e administrações hospitalares chamadas ao Parlamento por causa da falta de profissionais

Requerimento para esta audição foi apresentado pelo BE e foi aprovado por unanimidade.

Foto
LUSA/TIAGO PETINGA

A ministra da Saúde e conselhos de administração de vários hospitais vão ser ouvidos no Parlamento por causa da falta de profissionais nas respectivas unidades. O requerimento para esta audição foi apresentado pelo BE e foi aprovado esta quarta-feira por unanimidade.

No pedido, além de Marta Temido, o BE pede a presença das administrações dos centros hospitalares de Leiria, do Algarve, do Lisboa Ocidental e da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo. O requerimento incluía também o conselho de administração do Centro Hospitalar de Setúbal, que não marcará presença uma vez que esteve esta quarta-feira na comissão de saúde.

O motivo é o mesmo: a “falta de profissionais nestas unidades do Serviço Nacional de Saúde”. Todas as unidades referenciadas foram notícia nas últimas semanas devido à falta de profissionais para completar escalas e que têm levado a fortes constrangimentos na organização dos serviços. As urgências são sempre das áreas mais problemáticas e algumas tiveram de encerrar temporariamente.

Foi o caso da urgência do Hospital de Leiria que na última madrugada só atendeu casos emergentes. Já antes, no início do mês, também houve problemas com a urgência de ortopedia deste hospital. Quanto a Beja, que pertence à Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, o efeito da falta de médicos teve impacto no funcionamento da urgência de obstetrícia.

Esta quarta-feira, a comissão de saúde ouviu o conselho de administração do Centro Hospitalar de Setúbal, assim como o director clínico demissionário por causa da falta de médicos. No final da comissão, além do requerimento para a audição da ministra da Saúde e dos quatro conselhos de administração, também foi aprovado outro requerimento do BE para ouvir os vários médicos demissionários do Hospital de Setúbal.