Boavista confirma que Gérard Lopez é accionista maioritário da SAD

Informação foi prestada pelo clube e pelo empresário à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

Depois de, a 30 de Agosto de 2021, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter alertado o Boavista e o empresário Gérard Lopez para para a necessidade de cumprimento do dever de comunicação, fruto de uma alteração na posição de controlo no capital social da SAD, os “axadrezados” oficializaram na quinta-feira a operação.

De acordo com o documento enviado ao regulador, a entidade Jogo Bonito (controlada por Gérard Lopez) adquiriu 1.279.596 acções (36,56%) ao clube e 497.704 acções (14,22%)  à BFC, Investimentos SGPS, passando a deter 50,78% do capital social da sociedade anónima dos portuenses. Ou seja, o Boavista (clube) torna-se, neste cenário, um accionista minoritário, com apenas 10% do capital social — são 350 mil acções de categoria A.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, de resto, já tinha chamado a atenção para a necessidade de o empresário avançar com uma oferta pública de aquisição (OPA) obrigatória sobre a SAD do Boavista. 

Em Julho, Gerard López já tinha completado uma operação semelhante, mas em França, quando decidiu assumir-se como novo proprietário do Bordéus. Mas essa não foi a primeira aposta do empresário hispano-luxemburguês no futebol: já tinha assumido os destinos do Lille, entre 2017 e 2020.

Um confesso adepto de desporto, López (que tem feito carreira na área das novas tecnologias e no sector da energia) também se aventurou no mundo automóvel, quando, em 2009, decidiu comprar uma equipa de Fórmula 1, a Lotus, através da Genii Capital (que fundou em conjunto com Eric Lux). Antes disso, já se tinha envolvido em diferentes corridas de resistência.