Marcas juntam-se a instituições para apoiar e financiar investigação na área do cancro da mama

No Mês Internacional da Prevenção do Cancro da Mama há marcas que promovem o consumo com a promessa de que uma parte do valor gasto pelos clientes reverte a favor de instituições que trabalham na área da prevenção e investigação.

Foto
Angiola Harry/Unsplash

Outubro é o Mês Internacional da Prevenção do Cancro da Mama e nesta sexta-feira, dia 15, assinala-se o Dia Mundial da Saúde da Mama. Em Portugal, o cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres e corresponde à segunda causa de morte provocada por esta doença. Ao longo deste mês há marcas de retalho, mas também de cosmética e farmácia que promovem campanhas na compra dos seus produtos. O Ímpar compilou algumas:

Lemon Jelly propõe dois modelos de botas rosa

A marca portuguesa de calçado Lemon Jelly pegou em dois modelos de botins de plásticos, dois dos mais vendidos, embrulhou-os num laço e pintou-os de cor-de-rosa para criar uma colecção-cápsula, baptizada com o nome “Edição Fita Rosa”, a pensar nas clientes que querem apoiar a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

Por cada par de botas vendidas — o modelo Francesca custa 149,90€ e o Frankie 139,90€a marca oferece 2€ à LPCC. A campanha começou em Setembro, na loja online e abrange 15 dos cerca de 40 países em que a marca de Vila Nova de Gaia está presente. Por exemplo, se o cliente estiver no Reino Unido e quiser adquirir um par de botas para a chuva online, o valor reverte sempre a favor da LPCC. “Temos orgulho em sermos portugueses e poder juntarmo-nos a instituições que fazem tanto pelo nosso país”, declarou José Pinto, CEO da Lemon Jelly, em conferência de imprensa, esta semana, em Lisboa. “Tudo o que estamos a comercializar é angariado em prole da liga”, reforça.

Humberto Lourenço, membro da direcção da LPCC, recorda que a associação vive dos donativos dos particulares e das empresas e que oferece serviços gratuitos, apoio social, financeiro, jurídico, psicológico, emocional e ocupacional aos doentes. O responsável alerta ainda para a necessidade de prevenção primária, fazendo sensibilização nos meios de comunicação social, mas também nas escolas; e prevenção secundária com programas de rastreio para as mulheres a partir dos 50 anos.

Foto
DR

Uma T-shirt da Mo para vestir uma causa

A Mo, a marca de retalho de roupa e acessórios da Sonae (a que o PÚBLICO pertence), volta a associar-se, pelo terceiro ano consecutivo, ao Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa, Porto e Coimbra com a acção solidária “Há causas que nos vestem bem”. O objectivo é apelar à empatia e incentivar à prevenção e ao diagnóstico precoce do cancro da mama. Assim, por cada T-shirt solidária — esta foi desenhada por Joana Soares, a artista conhecida por Violeta Cor de Rosa — vendida, 3€ são para as três delegações do IPO.

Em comunicado, a marca informa que nas duas edições anteriores desta iniciativa foram angariados mais de 43 mil euros. Com esta acção, a marca quer apoiar os doentes e as suas famílias, por isso as T-shirts, feitas de algodão orgânico, podem ser compradas em todos os tamanhos, para crianças e adultos“O cancro da mama é uma causa de todas as famílias, que são um núcleo fundamental no combate a esta doença. A luta contra o cancro não é uma luta individual, mas antes uma luta de todos aqueles que estão envolvidos na história de quem o trava na primeira pessoa. Também por isso, para envolver os mais próximos numa missão que nos coloca à prova e exige coragem máxima, decidimos este ano alargar a iniciativa do movimento rosa ‘Há causas que nos vestem bem’ com T-shirts solidárias também para homem e criança”, declara Diana Teixeira Pinto, directora de marketing e e-commerce da Mo, no mesmo comunicado.  

Foto
DR

Kiabi com colecção para mulheres vítimas de cancro

A Kiabi junta-se mais uma vez à Liga Portuguesa Contra o Cancro com a sua colecção Outubro Rosa. Pelo sétimo ano consecutivo, a Kiabi apoia as mulheres com uma colecção de roupa e de lingerie pós-cirúrgica, sob o mote “Love yourself and check your boobs”. Assim, cada peça adquirida até ao final do mês, a Kiabi e o Fundo Kiabi Life comprometem-se a doar 1€ à Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Também os clientes podem doar uma quantia à sua escolha nas lojas Kiabi no momento em que pagam as suas compras. Segundo a empresa francesa de retalho, o ano passado, foram doados cerca de 770 mil euros graças às vendas das colecções Outubro Rosa em todo o mundo.

Foto
DR

Intimissimi doa 2€ por cada soutien vendido

Também a marca de lingerie Intimissimi se associou à Liga Portuguesa Contra o Cancro durante este mês. Por cada soutien vendido em qualquer loja física ou online, a marca doa 2€. No site é possível acompanhar o valor angariado e até dia 11 de Outubro a quantia foi de 34.906€. 

O rosto da campanha da Intimissimi é a actriz Sofia Ribeiro, uma sobrevivente ao cancro. Com o montante angariado, a LPCC já adquiriu um veículo de exposição itinerante, que tem como objectivo a sensibilização e prevenção do cancro, através de um contacto mais próximo com a população, informa a marca em comunicado. 

O veículo esteve no Rossio, em Lisboa, na passada sexta-feira, 15 de Outubro, Dia da Saúde da Mama, e a marca de lingerie do Grupo Calzedonia reuniu na sua loja da Rua Augusta, algumas caras conhecidas como Catarina Gouveia, Júlia Belard, Luísa Beirão, Mafalda Rodiles, Mia Rose, Soraia Tavares e Yolanda Tati, que quiseram mostrar a sua solidariedade com esta causa.

Foto
DR

Torres Novas mergulha na causa Outubro Rosa

Também a marca de toalhas de banho Torres Novas se junta à LPCC doando 20% das vendas de qualquer toalha cor-de-rosa na sua loja online, anuncia a empresa fundada em 1845, que fechou portas em 2011, mas voltou a ser relançada no ano passado. Caso o cliente compre em lojas físicas a percentagem cai para os 10%. A campanha só é válida ao longo deste mês.

É com esta proposta que a marca se junta ao movimento Outubro Rosa, nascido para sensibilizar as pessoas em relação à importância de prevenir o cancro da mama. Recorde-se que, em Portugal, esta doença mata em média quatro mulheres diariamente. Por isso, o valor angariado será para apoiar o Programa Nacional de Rastreio de Cancro da Mama, “um contributo que tem permitido salvar vidas, preservar famílias e fortalecer a sociedade”, diz a marca de atoalhados em comunicado à imprensa.

DR
DR
DR
Fotogaleria
DR

Laboratório Isdin relança campanha solidária

Desde o início do mês que a campanha solidária Juntas Contra o Cancro da Mama está activa. Não é a primeira vez que o laboratório farmacêutico internacional Isdin aproveita o mês de consciencialização para promover esta campanha que consiste em dar 1€ ao iMM Laço Hub — uma parceria entre a Associação Laço (criada em 2003) e o Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), que apoia e promove a investigação na área do cancro da mama — por cada unidade dos produtos Isdin Woman e Ureadin RcRd. Para promover os donativos, anuncia a empresa em comunicado, os produtos têm um desconto de 20%. A campanha termina no dia 31.

Foto
DR

La Redoute compromete-se a doar até cinco mil euros

Até a próxima segunda-feira, dia 18, qualquer compra realizada no site da La Redoute que inclua pelo menos uma peça da colecção de roupa para mulher, a empresa de venda online contribui com 1€ para o iMMLaço Hub, sendo que a marca se compromete a doar até cinco mil euros.“Em Portugal, o cancro da mama continua a ser o cancro mais mortal entre as mulheres. Estima-se que uma em cada 11 mulheres desenvolva esta doença e todos os anos surgem sete mil novos casos. Se estes números já nos deixam alerta e sensibilizados, sabemos também que a situação pandémica veio fazer com que muitas consultas de rastreio e cirurgias não se realizassem”, alerta Mariana Matos, coordenadora do iMM-Laço Hub e responsável de Fundraising do iMM.

O objectivo é apoiar o mais recente projecto do iMM, constituído por dois pilares fundamentais na luta contra o cancro: um laboratório focado na investigação em cancro da mama metastático e uma equipa que tem como função dedicar-se à relação da ciência com a sociedade civil, através de acções de sensibilização para o diagnóstico precoce e seu tratamento, informa a marca francesa em comunicado de imprensa.

Foto
DR

La Roche-Posay apoia doentes oncológicos

Durante este mês, o laboratório francês de dermatologia La Roche-Posay vai dar formação a mais de cem profissionais de saúde oncológica, entre médicos, enfermeiros e radioterapeutas do SAMS; e vai lançar uma nova plataforma digital no seu site para consciencializar e apoiar os doentes. A marca quer ainda oferecer mais de 500 kits de produtos a várias instituições como o Hospital de Santa Maria, em Lisboa; SAMS, USF S. Julião de Oeiras; Clínica da Pele e Clínica da Mama do IPO Porto; Mama Help e Instituto Cuf Porto.  

O laboratório já tinha lançado um guia com conselhos de especialistas com o objectivo de ajudar os doentes a encontrar respostas relacionadas com o cuidado de pele, antes, du​rante e após os tratamentos oncológicos. Nos últimos anos, os avanços no tratamento oncológico melhoraram o prognóstico dos doentes, mas “infelizmente, a pele, um órgão vital, mas frágil, é muitas vezes agredida pelos efeitos das terapias, estimando-se que 80% dos pacientes suspendam os seus tratamentos por este motivo”, alerta a La Roche-Posay em comunicado de imprensa. 

Foto
DR