Piazzola, Borges, Gardel e vinho

Embora esta crónica fale só de tango, há muito de vinho pelo meio, acredite.

Foto
Paulo Pimenta

Agora que Bragança está a um salto de gafanhoto, vou lá com mais frequência, parando sempre no Solar Bragançano, que se tornou para mim ao longo dos últimos vinte anos em mais do que um restaurante. É a casa familiar onde posso resgatar as memórias das comidas de pote e alimentar a amizade, porque é à mesa, e com vinho, que a amizade se alimenta. 

Sugerir correcção
Ler 2 comentários