O Doclisboa está de regresso às salas e traz “filmes livres, arriscados”

A 19.ª edição do festival de cinema documental retoma o “formato normal” que a pandemia interrompeu: durante 11 dias, instala-se nos cinemas com 249 obras para surpreender o espectador.

Foto
Landscapes of Resistance, da sérvia Marta Popivoda DR

É, de certa maneira, uma ocasião solene: começa esta quinta-feira, 21 de Outubro, a 19.ª edição do Doclisboa. Solene por aquilo que representa: trata-se do primeiro grande festival de cinema na capital desde o início da pandemia de covid-19, em Março de 2020, que se realiza como “antes da pandemia”– isto é, presencialmente, no calendário habitual, com múltiplas sessões diárias e com a lotação completa das salas (Culturgest, Cinemateca Portuguesa, cinemas Ideal, São Jorge e City Campo Pequeno, Museu do Oriente).