O Gajo, agora em trio: “A minha medicação, que funciona sempre, é a viola”

Não tencionava lançar um disco agora, mas a pandemia levou-o a isso. Subterrâneos, em trio com Carlos Barretto e José Salgueiro, é apresentado esta quarta-feira ao vivo no Teatro Maria Matos, em Lisboa, às 21h.

Foto
João Morais (O Gajo), com a sua viola campaniça JORGE BUCO

Este foi um disco inesperado para João Morais, ex-punk-rocker em grupos como os Corrosão Caótica ou os Gazua e que a solo adoptou como nome artístico O Gajo. Mas o confinamento ditado pela pandemia em Março de 2020 atirou-o para os braços da viola e daí nasceu mais um álbum, a que deu o título de Subterrâneos, e que vai apresentar ao vivo esta quarta-feira no palco do Maria Matos, em Lisboa (às 21h), com os músicos com quem gravou este disco em trio: Carlos Barretto, no contrabaixo; e José Salgueiro, na percussão. Terá ainda como convidados Manuel João Vieira, no bandolim, e Telma Pereira, a dar voz a alguns temas.

Sugerir correcção
Comentar