OCDE critica penalização excessiva das reformas antecipadas em Portugal

No relatório anual sobre pensões, a OCDE diz que o objectivo de penalizar fortemente as reformas antecipadas “não é claro”, mas ao mesmo tempo tece elogios ao mecanismo que liga a idade da reforma à evolução da esperança de vida. Porém, alerta, é preciso outras medidas para responder à redução da população activa e às baixas taxas de fertilidade.

Foto
Ligar a idade da reforma ao aumento da esperança de vida não é suficiente para responder às baixas taxas de fertilidade e à redução da populaçao activa. Adriano Miranda

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) destaca Portugal como o país que mais penaliza os trabalhadores que antecipam a saída do mercado de trabalho e questiona o objectivo dos enormes cortes que continuam a ser aplicados a algumas pensões antecipadas.

Sugerir correcção
Ler 23 comentários