Jornais escolares

“Bem-vindos ao Comunica. Esta é a nossa redação, onde todas as notícias são feitas”

Quem melhor para apresentar o jornal do que os alunos que o fazem? O estreante Comunica, do Agrupamento de Escolas de Freixo, em Ponte de Lima, venceu o Concurso Nacional de Jornais Escolares no escalão B (2.º e 3.º ciclos). “Bem-vindos.”

Setembro de 2019, o jornal a dar os primeiros passos: três notícias publicadas. No mês seguinte, 24. Abril de 2020: um total de 109. A história da curta e bem-sucedida vida do Comunica é indissociável da pandemia e das restrições a que obrigou durante parte do ano letivo. “Mudámos as nossas instalações para a casa de cada um, para assim podermos continuar a trabalhar”, conta uma aluna no vídeo de apresentação do jornal, com a participação de vários estudantes, gravado há poucos dias, por sugestão do PÚBLICO na Escola, já depois de terem sabido que eram os vencedores do prémio para o melhor jornal dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, uma das categorias do Concurso Nacional de Jornais Escolares. 

À semelhança do que aconteceu com muitas outras publicações escolares, o Comunica, do Agrupamento de Escola de Freixo, em Ponte de Lima, passou na primavera a ser feito a partir de casa, fazendo eco do que nela se passava. “Das crises surgem oportunidades e quando a equipa se preparava para encerrar temporariamente as atividades do jornal devido ao confinamento dos seus jornalistas, leitores e colaboradores, uma proposta de trabalho sugerida pela direção da escola veio injetar uma dinâmica na redação do jornal: ‘A vida com Coron@, Como é? Como será?’” —resume o texto que acompanhou a candidatura ao concurso promovido pelo PÚBLICO, através do projeto PÚBLICO na Escola. “Fizeram-se hinos de esperança nas aulas de música, previsões meteorológicas, trabalhos temáticos nas diversas disciplinas, educação física, tudo num formato até então nunca visto: virtual.”

Dinamizado pelo Clube de Comunicação, o site congrega colaborações de professores e alunos. Os estudantes têm à disposição cartões de jornalista, que podem requisitar quando vão fazer uma entrevista, por exemplo.

Os planos para o segundo ano de atividade editorial passam por cativar e comprometer cada vez mais os alunos com a produção de conteúdos em áreas que vão ao encontro dos seus interesses e fortalecer a ligação à comunidade e às famílias. Neste momento, está a ser testada mais uma novidade, uma experiência em podcast. Nasceu, entre outras razões, porque se acredita que poderá ser uma maneira eficaz de “chegar aos pais dos alunos”, explica o professor António José Paiva, coordenador do Comunica. Chama-se Comunikipedia e consiste nisto: “Tudo aquilo que sempre quiseste saber em apenas 1 minuto” — lê-se quando se clica.

“A nossa ideia era pegar num tema semanal, como a crise dos migrantes ou a aplicação StayAway Covid, e explicá-la num minuto”, exemplifica António José Paiva. Escolhido o assunto, “os miúdos vão, em conjunto com o professor, preparar um texto da autoria deles (nada de copy-paste)”. Pode ser feito dois a dois e pode sobretudo permitir também aos adultos ficar a saber mais acerca de vários temas da atualidade, sem precisar de muito tempo nem de outra atividade que não ouvir. Porque "a escola ensina miúdos, mas também pode ensinar os pais”, remata o professor.

Os prémios do Concurso Nacional de Jornais Escolares foram entregues na sexta-feira, 27 de novembro, em Lisboa.